10 fatos interessantes sobre gatos

Seu melhor amigo de quatro patas é mais complexo do que você imagina. Veja abaixo 10 coisas que você provavelmente não sabia sobre o seu gato (e sobre você), num artigo escrito por Jelisa Castrodale.

10 fatos interessantes sobre gatos

“Vamos lá, tente me decifrar.”

Você conhece o seu gato, certo? Você sabe interpretar todos os miaus distintos. Você sabe como ele se alonga logo antes de adormecer. E você sabe que ele, de repente se materializará na sua frente quando for a hora do jantar. Os gatos são animais incríveis e únicos em muitos aspectos, desde o formato de seus olhos, até suas papilas gustativas especializadas, até as razões há muito debatidas de seus ronronares. Caso você precise de alguns lembretes sobre por que eles são criaturas e companheiros incríveis, aqui estão 10 coisas que talvez você não saiba sobre gatos – e sobre donos de gatos.

 

1. Os olhos dos gatos revelam o caçador dentro

Este gato pode ou não estar tentando hipnotizá-lo. Via Knokton/Flickr

Além de David Bowie, os gatos podem ter os olhos mais distintos do planeta. E essas pupilas verticais únicas fazem mais do que fazer o seu gato parecer muito desapontado, enquanto ele se senta no peitoril da janela, julgando você.

Cientistas da Universidade da Califórnia-Berkeley estudaram as pupilas de 214 diferentes animais terrestres, e determinaram que o formato determinava muito sobre seus estilos de vida, especialmente quando se trata de comportamento predatório. Aqueles com pupilas verticais, como os gatos domésticos, tendem a emboscar suas presas.

Martin Banks disse em um comunicado:

Para espécies que são ativas, como os gatos domésticos, tanto de dia como de noite, as pupilas fornecem o intervalo dinâmico necessário para ajudá-las a enxergar com pouca luz, mas não ficam cegas pelo Sol do meio-dia.

Talvez, mas isso ainda não explica David Bowie.

 

2. Gatos não ronronam quando estão felizes

Todo dono de gato gosta de ouvir o animal ronronando ao lado deles. Mas a ideia de que os gatos ronronam porque estão satisfeitos ou felizes pode não ser totalmente precisa. Sim, eles ronronam quando estão sendo acariciados ou amamentando seus filhotes, mas eles também ronronam em situações estressantes – o que levou a um debate contínuo sobre porque eles fazem isso e para qual propósito eles servem.

Pesquisadores determinaram que os gatos ronronam em frequências entre 25 e 150 Hertz, uma faixa de frequência que “pode melhorar a densidade óssea e promover a cura”. De acordo com Leslie Lyons, professora assistente da Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Califórnia, Davis, os gatos podem ronronar como uma maneira de estimular seus ossos e músculos, sem gastar energia real ou estressar seus corpos.

Lyons disse à Scientific American:

Embora seja tentador afirmar que os gatos ronronam porque estão felizes, é mais plausível que o ronronar dos gatos seja um meio de comunicação e uma fonte potencial de autocura.

 

3. O gato vivo mais velho tem 26 anos de idade

Corduroy parece tão jovem. Provavelmente ainda pedem a identidade dele para entrar em bares. Via WDBJ / Facebook

De acordo com o Guinness World Records, um gato de 26 anos chamado Corduroy é atualmente o gato doméstico mais velho (ou era há 3 anos). Corduroy reivindicou recentemente a honra de ser velho e vivo após a morte de Tiffany Two, com a idade de 27 anos, 2 meses e 20 dias. Corduroy precisa esperar por mais uma década se ele quiser receber a honra de todos os tempos. O mais velho gato doméstico conhecido, chamado Creme Puff, viveu até os impressionantes 38 anos, 3 dias de idade. O gato doméstico vive em média 15 anos.

 

4. Os gatos são melhores caçadores que cães.

Recentemente vi uma criança em um aeroporto, a qual estava vestindo uma camiseta que dizia: ‘Cats Rule, Dogs Drool‘ (Gatos dominam, cães babam), que é mais preciso do que você pensa. Os gatos dominam, pelo menos de uma perspectiva evolucionária. Um estudo recente de mais de 2.000 fósseis mostrou que membros da família dos felinos (felídeos) eram melhores caçadores e mais capazes de sobreviver do que seus equivalentes de cães (canídeos). O estudo, publicado na revista PNAS, descobriu que os gatos lutavam mais e caçavam mais que os cachorros, aproveitando ao máximo os recursos disponíveis. Isso levou a um declínio significativo no número de espécies de cães selvagens que sobreviveram.

O principal autor do relatório, Dr. Daniele Silvestro, disse:

A chegada de gatos à América do Norte teve um impacto mortal na diversidade da família canina.

 

5. Os gatos realmente te ignoram

‘Sim eu ouvi voce. Não, eu não vou fazer nada sobre isso.” Via Merlijn Hoek/Flickr

“Sr. Sniffles Sr. Sniffles? SR. SNIFFLES!” Você sabe que seu gato sabe o nome dele, seu gato sabe que ele sabe o nome dele e ambos sabem que ele está te ignorando. Os pesquisadores sabem disso também, e testaram isto brincando com gravações dos nomes de gatos sendo faladas em voz alta por quatro estranhos e seus donos. Embora os gatos exibissem um comportamento que indicou que sabiam que seus nomes estavam sendo chamados, eles ainda optaram por não responder, mesmo para seus donos.

O estudo, publicado na revista Animal Cognition, sugeriu que isso acontecia porque os gatos, ao contrário dos cães, não eram domesticados para escutar humanos ou para tentar agradá-los.

Os autores escreveram:

Historicamente falando, os gatos, ao contrário dos cães, não foram domesticados para obedecer às ordens dos humanos. Ao contrário, eles parecem tomar a iniciativa na interação homem-gato. OLHE PARA MIM, SR. SNIFFLES! OLHE PARA MIM.

 

6. Há um jeito certo para acariciar seu gato – e um muito, muito errado

De acordo com pesquisadores da Universidade de Lincoln, os gatos preferem ser tocados em suas caras, especialmente em torno de seus lábios, queixos e bochechas, onde eles têm glândulas odoríferas. O pior lugar para acariciar um gato é na base da cauda , o que os pesquisadores identificaram como ‘uma zona erógena de gato’ (aqui está uma frase que você não esperava ler hoje), que pode ser superestimulada a ponto de ser desconfortável. Os cientistas chegaram a essa conclusão tentando acariciar 54 gatos diferentes em partes variadas de seu s corpos e, embora suas descobertas sejam fascinantes, o mais interessante é o fato de existir um trabalho onde você tem que acariciar gatos de estimação.

 

7. Nem todos os gatos amam a planta catnip (Erva do Gato)

No filme “The Hangover” (br Se Beber, Não Case! pt A Ressaca), o estranho barbudo Alan confiantemente diz que os tigres amam pimenta, mas odeiam canela. Outra coisa que os tigres amam? Catnips. As folhas e caules da planta catnip podem fazer os gatos – qualquer gato, desde seu amigo domesticado até leões e tigres – sair de suas mentes por cerca de 10 minutos. Mas, de acordo com a Scientific American, a reação de um gato à erva é determinada por sua genética: entre 20% e 30% dos gatos são imunes a seus efeitos. Além disso, o catnip não tem efeito em gatos com menos de 6 meses de idade.

 

8. Gatos não podem sentir coisas doces

“Eu não sei o que era isso, mas eu gostaria de mais, por favor.”Via K-nekoTR/Flickr

Os gatos são possivelmente o único mamífero que não pode provar o doce. Gatos, incluisive leões, tigres e aquele que arranha silenciosamente em suas cortinas, não têm os aminoácidos do DNA do gene que lhes permite detectar sabores doces. A deficiência pode estar relacionada ao fato de que os gatos são principalmente carnívoros, descendentes de uma longa linhagem de comedores de carne. Eles não têm necessidade de detectar a doçura que é encontrada em carboidratos ou fontes vegetais de alimentos. ‘Eles têm sorte’, diz o bioquímico Joe Brand. “Os gatos realmente têm dentes ruins.” Talvez isso explique por que os tigres odeiam a canela.

 

9. As mulheres adoram um homem que tenha um gato

Vocês estão vendo isto, meninas? sjallenphotography/iStock/Thinkstock

Cavalheiros, possuir um gato pode torná-los mais atraentes para as mulheres. Em um estudo realizado pelo pesquisador de animais de estimação, Dra. June McNicholas, as mulheres relataram ser mais atraídas por homens que gostavam de animais, mas os donos de gatos também eram percebidos como sendo mais gentis e cuidadosos. As descobertas do estudo parecem confirmar isto, pelo menos quando se trata da forma como os homens exibem suas afeições por seus companheiros felinos: Os donos de gatos eram mais propensos a fazer sacrifícios reais por seus gatos, inclusive desistir de férias para evitar ter que deixar seus animais de estimação em hotéis, ou até mesmo escolher seus gatos ao invés de seus parceiros românticos. OK, talvez essa última parte não seja tão sexy quanto a coisa toda do carinho.

 

10. Os donos de gatos têm um verdadeiro entusiasmo pela vida

Existem diferenças reais entre pessoas que gostam de gatos e pessoas que gostam de cães. Um psicólogo da Universidade do Texas-Austin entrevistou mais de 4.500 indivíduos para determinar se eles eram “pessoas-cachorro”, “pessoas-gato”, nenhum ou ambos. Ele também deu a eles um teste de 44 perguntas para avaliar suas personalidades. Ele e sua equipe concluíram que aqueles que eram exclusivamente pessoas que gostavam de gatos eram mais introvertidos, exibiam menos calor e eram mais neuróticos do que seus colegas donos de cães. Mas espere! Os proprietários de gatos também estavam determinados a serem mais “abertos”, um traço que foi descrito como envolvendo “uma apreciação geral por arte, emoção, aventura, ideias incomuns, imaginação, curiosidade e variedade de experiências”. Mas você já sabia que era uma pessoa culta e tinha gostos refinados, certo?

(Fonte)

Goste ou não de gatos, você tem que admitir que eles são especiais…

 

Compartilhe com as pessoas queridas: