A ciência determinou qual é a idade mais fofa para um filhotinho de cão

a idade mais fofa para um filhotinho de cão

Derretendo corações aos milhares

De acordo com um novo estudo de Nadine Chersini, Nathan Hall, e Clive Wynne, da Universidade da Flórida (EUA), os cães são mais fofos aos dois meses de idade. Este é um trabalho muito importante. Para descobrir isso, eles reuniram 51 participantes para saber como eles tinham essa percepção e atribuir pontuações de fofura para fotos de filhotes de cães desde suas primeiras semanas de vida até a idade adulta jovem. Eles também se certificaram de escolher muitas raças diferentes para que seus resultados não fossem influenciados por um canino amigável ao público. Mas, mesmo observando os terriers Jack Russell , os cane corsos, ou os pastores brancos, os participantes classificaram consistentemente os filhotes em aproximadamente sua oitava semana de vida como mais bonitos, do que os mais jovens e mais velhos.

Como se vê, um cão começa sua vida com muitas qualidades maravilhosas, mas a fofura não é uma delas. As pessoas classificaram os cães recém-nascidos como os menos fofos, com a adorabilidade gradualmente aumentando ao longo de várias semanas até que finalmente atingiram aquele ponto ideal (6,3 semanas para cane corsos, 7,7 semanas para Jack Russells e 8,3 semanas para pastores brancos). Depois desse ponto, a fofura tende a diminuir um pouco e depois se estabiliza na idade adulta.

Claro, este estudo pode parecer um pouco bobo, mas na verdade estava de acordo com a hipótese dos pesquisadores de que a fofura ideal estava ligada à idade em que as cadelas começam a expulsar seus filhotes da toca. Sim, quando pensamos que os cachorros são mais fofos, as mães sentem que é hora de deixar o ninho. Mas o que isso nos diz sobre a evolução canina?

Sobrevivência do mais fofo

Aqui está uma grande diferença entre cães e lobos: cães podem começar a empurrar seus filhotes para longe em apenas oito semanas (na época em que são desmamados), enquanto seus primos selvagens estão dispostos a suportar sua progenitura por até dois anos. Para os pesquisadores, essa estreita correlação entre o tempo de maior necessidade dos filhotes e o maior momento de vida de seus humanos provavelmente foi resultado do processo de domesticação.

Pense nisso desta maneira. Especialmente nos primeiros dias de domesticação de cães, os seres humanos teriam gravitado em torno do treinamento de filhotes – e nós arriscaríamos um palpite de que quanto mais bonitinho fosse o filhote, melhor ele era tratado e mais provávelmente seria pego para criar. Os filhotes que alcançaram o nível mais alto de fofura quando estavam prontos para deixar suas mães e ir para a escola de treinamento de filhotes eram mais propensos a se reproduzir mais tarde na vida – e, portanto, produzir mais fofurinhas de oito semanas. Agora que esse quebra-cabeça está resolvido, temos que chegar ao fundo do debate do nariz pontudo vs. cara achatada.

(Fonte)

Compartilhe com as pessoas queridas: