Brasileira fica chocada ao descobrir que “roubaram” seu rosto na Ásia

Driely Meanda, uma jovem de 22 anos de São Paulo, no Brasil, descobriu recentemente que uma foto de seu rosto está sendo impressa em roupas femininas vendidas na Ásia.

Driely, cuja conta popular no Instagram tem mais de 300.000 seguidores, está acostumada a ver fotos de si mesma circulando online, mas ela nunca imaginou que alguém iria tão longe a ponto de pegar uma de suas selfies artísticas e usá-la como um design para impressão de roupas comercias. Depois de ter sido avisada por um de seus fãs, a jovem Instagrammer postou uma foto de um manequim em uma loja de roupas femininas vietnamitas vestindo uma camiseta com o seu rosto impresso nela. Mais pesquisas revelaram que havia, na verdade, uma linha inteira de blusas e camisas com o rosto disponível para compra online e em lojas físicas.

“Você pode achar que seu dia foi uma loucura, mas acabei de descobrir que há uma loja na Ásia vendendo camisetas com minha foto nelas”, escreveu Driely. Seu post recebeu mais de 65.000 curtidas e 13.7 comentários, muitos dos fãs encorajando-a a processar a loja.

A jovem de 22 anos conseguiu entrar em contato com a empresa vietnamita, Nhà Kho Liti, mas soube que esta não era diretamente responsável por sua foto ser impressa em roupas femininas. Acontece que as roupas são na verdade fabricadas na China e vendidas livremente em vários mercados online, e Nhà Kho Liti acabou de comprá-las a granel e começou a revendê-las no Vietnã.

A loja de roupas pediu desculpas à Instagrammer brasileira e até se ofereceu para enviar-lhe algumas blusas e camisetas gratuitas com o seu rosto nelas. Eles então postaram uma mensagem reconhecendo que ela era a legítima proprietária da impressão em suas roupas e elogiando seus fãs por defenderem ela.

Um representante da Nhà Kho Liti escreveu no Instagram da empresa:

Sabemos que a menina bonita na blusa (3ª foto) é a  @meandadri.

Para todos os fãs: Nós já tivemos uma conversa com ela e ela está feliz em nos deixar usar as fotos. Obrigado a todos vocês que querem protegê-la, vocês fizeram a coisa certa.

Quanto à Driely Meanda, ela decidiu não tomar medidas legais contra a empresa vietnamita, já que não era diretamente responsável por usar sua foto. Ela não conseguiu identificar o fabricante da camiseta e, no caso improvável de acontecer, ela provavelmente não será responsável, devido às leis de direitos autorais da China.

“É estranho imaginar que em algum lugar remoto na Ásia – que eu provavelmente nunca vou saber, alguém está vestindo uma blusa com meu rosto, e eles nem sabem que eu existo…”, disse Driely em uma história do Instagram.

Eu me pergunto se alguém, em algum lugar, está usando meu rosto agora. Isso seria assustador…

(Fonte)

 

Compartilhe com as pessoas queridas: