Os cães são atraídos pelas faces sorridentes dos humanos, descobriu nova pesquisa

cães são atraídos pelas faces sorridentes dos humanos

Os cientistas acreditam ter avançado nas relações cão-humano, demonstrando que os cães apresentam fortes respostas emocionais aos rostos humanos.

Os cientistas do grupo Canine Mind mostraram a 43 cães imagens de rostos sorridentes e irritados em uma tela de computador. Cada cão foi testado duas vezes: uma vez sob a influência de oxitocina, que foi administrada como parte do teste e uma vez sem oxitocina. O olhar do cão sobre as imagens e o tamanho da pupila foram medidos com um dispositivo de rastreamento ocular. As emoções e a atenção orientam o olhar e regulam o tamanho da pupila, fazendo com que o olho guie uma janela nas mentes dos cachorros.

Os cães geralmente se concentram no aspecto mais notável de cada situação, como estímulos ameaçadores em uma situação assustadora. Reconhecer e interpretar ameaças rapidamente é importante para a sobrevivência. Os cães sob a influência da oxitocina estavam mais interessados ​​em rostos sorridentes do que aqueles que estavam com raiva.

Além disso, a oxitocina também influenciou os estados emocionais dos cães, o que era evidente no tamanho da pupila.

O professor Outi Vainio, que dirige o grupo de pesquisa, disse:

Nós estávamos entre os primeiros pesquisadores do mundo a usar medidas de pupilas na avaliação de estados emocionais dos cães. Este método havia sido usado apenas em seres humanos e macacos.

Sem oxitocina, as pupilas dos cachorros estavam no seu maior tamanho quando olhavam rostos irritados. Isso indicou que os rostos irritados causaram a reação emocional mais poderosa nos cães. Sob a influência da oxitocina, no entanto, imagens de rostos sorridentes aumentaram o estado emocional dos cães mais do que as de irritados. Isso significa que a oxitocina provavelmente fez com que os rostos irritados parecessem menos ameaçadores e os rostos sorridentes mais atraentes.

O professor Vainio ainda disse:

Ambos os efeitos promovem a comunicação cão-humano e o desenvolvimento de relações carinhosas.

O grupo de pesquisa do professor Vainio já aplicou com sucesso o rastreamento ocular e Eletroencéfalogramas para estudar a mente canina. Neste estudo, o grupo se associou com József Topál, um pioneiro húngaro da pesquisa canina, especializado na interação cão-humano e na inteligência social dos cães.

Então, sorria para seu cão!

(Fonte)

Compartilhe com as pessoas queridas: