Carros movidos a hidrogênio se tornarão comuns no Reino Unido até 2020

Compartilhe com amigos! Obrigado

080430_Hydrogen_carAutomóveis movido a hidrogênio estão destinados a se tornar um objeto comum nas estradas do Reino Unido até 2020, à medida que novos modelos são anunciados e planos para investimento em infraestrutura são revelados.

Os principais fabricantes de automóveis estão se preparando para lançar carros movidos a hidrogênio, nos próximos dois anos.  Toyota, Honda, Audi e Volkswagen estão desenvolvendo novos modelos, enquanto alguns veículos da Hyundai já estão disponíveis no Reino Unido.

As células de combustível nos carros movidos a hidrogênio geram eletricidade através da combinação do hidrogênio armazenado em tanques de alta pressão com o oxigênio.  Somente água é expelida pelo escapamento.  Eles podem cobrir distâncias de até 480 quilômetros antes de reabastecerem, o que leva somente alguns minutos na bomba, comparado com baterias de carros elétricos que demoram horas para recarregar, com a maioria delas tendo uma alcance muito menor.

O Toyota Mirai – que significa ‘futuro’ em japonês – está sendo lançado no Japão agora e poderá ser o primeiro carro com célula de combustível produzido em massa no mundo.  Até 100 deles estarão disponíveis na Europa, principalmente no Reino Unido e na Alemanha, começando em meados de 2015.  A Toyota planeja produzir dezenas de milhares deles até 2020.

A Honda planeja lançar sua FCV a hidrogênio no Japão em março de 2016, e logo após na Europa e nos EUA.

Seis ix35 da Hyundai já foram entregues nos Reino Unido para clientes e transportes para Londres, e o veículo está agora disponível para pedidos do público.

Kit Malthouse, o vice prefeito de Londres para negócios e empreendimentos, prediz que a tecnologia de célula de combustível de hidrogênio “eventualmente irá substituir os motores a combustão interna”.

 

Investimento em infraestrutura

Em outubro, durante uma viagem ao Japão, o ministro para negócios e empreendimentos, Matthew Hancock, anunciou até um milhão de Libras para ajudar a preparar o Reino Unido a receber os automóveis movidos a hidrogênio.

“Queremos fazer com que o Reino Unido seja um dos melhores lugares no mundo para projetar, manufaturar e vender veículos de emissão ultra-baixa”, disse ele.

O dinheiro será usado para construir 15 estações de reabastecimento de hidrogênio até o final de 2015, mas também inclui 2 milhões de Libras para o setor público de veículos a hidrogênio.

Em 2013, o projeto UKH2Mobility, o qual envolveu 12 grupos de indústrias e três departamentos governamentais, recomendou uma rede inicial de 64 estações de abastecimento para servir os centros populacionais e estradas principais.  Foi dito que o número poderia crescer para 1.150 até 2030.

O Japão, a Alemanha, a Escandinávia e a Califórnia têm programas ambiciosos para redes de abastecimento de hidrogênio.

 

Impacto ambiental

Embora os automóveis movidos a hidrogênio não emitam nenhum gás estufa quando operam, a maioria do hidrogênio na Europa é obtida do gás natural e produz dióxido de carbono como produto colateral.  Além disso, e da falta de postos de reabastecimento, as células de combustível de hidrogênio são atualmente menos eficiente e mais caras de operar do que as baterias elétricas.

Porém, os grupos verdes dão as boas vindas ao anúncio dos novos carros de célula de combustível de hidrogênio disponibilizados comercialmente, como sendo um desenvolvimento positivo.

O gerente das campanhas People and Planet, Andrew Taylor, declarou; “Damos as boas-vindas aos novos investimentos em carros movidos a hidrogênio, como parte da solução para evitar a perigosa mudança climática.  O lobby do petróleo tem bloqueado seu desenvolvimento por muitos anos.”

Greg Archer, gerente de programa para o grupo de campanha de transporte sustentável Transport and Environment, adicionou: “A eletromobilidade, seja elétrica ou com automóveis movidos a célula de combustível de hidrogênio, podem tornar a mobilidade mais sustentável – baixo carbono, livre de poluição do ar e de ruído.  Esta é provavelmente a última chance para o hidrogênio se estabelecer no mercado emergente para veículos de baixo carbono.  Tanto os fornecedores de energia quanto as fábricas de veículos devem fazer sérios investimentos no hidrogênio e os governos fornecerem uma política de apoio complementar.

EAK

Fonte: positivenews.org.uk


Compartilhe com amigos! Obrigado