Ótima notícia: 10 causas de morte que estão diminuindo mais a cada ano no mundo todo

Compartilhe com amigos! Obrigado

10 causas de morte que estão diminuindo

Embora a mídia hoje possa fazer você acreditar que estamos cercados de morte e destruição, essas estatísticas positivas vão convencê-lo de que muitas coisas estão melhorando.

Com os avanços da medicina e melhores práticas de segurança na saúde, cada vez menos pessoas estão morrendo de doenças comuns, acidentes e estilos de vida problemáticos.

Não acredita em nós? Aqui está a lista das taxas de mortalidade que estão diminuindo cada vez mais:

 

10) Câncer de mama

De acordo com novas pesquisas da ‘American Cancer Society‘ (Sociedade Americana do Câncer), as mortes por câncer de mama nos EUA caíram quase 40% desde 1989 – o que se traduz aproximadamente em 322.600 mortes evitadas por câncer de mama. Essa tendência é amplamente atribuída aos exames mais consistentes e a um tratamento eficiente.

Não é apenas câncer de mama – um declínio constante ao longo de mais de duas décadas resultou em uma queda de 25% na taxa geral de mortalidade por câncer nos Estados Unidos. O que equivale a 2,1 milhões de mortes a menos por câncer entre 1991 e 2014.

 

9) Malária

Graças à vacina contra malária mais eficaz do mundo, os esforços globais nos últimos 15 anos levaram a uma redução de 62% nas mortes por malária entre 2000 e 2015. Embora ainda exista muitos casos de malária na África, espera-se que o desenvolvimento da vacina evite infecções por todo o Gana, Quênia e Malawi em 2018.

 

8) Sarampo

Em 2014, as mortes por sarampo caíram 78% desde 2000, enquanto as campanhas globais de vacinação restringiam os surtos da doença.

 

7) Mortes infantis por doenças

Um artigo do ‘Global Burden of Disease Child and Adolescent Health Collaboration‘ diz que a mortalidade entre crianças e adolescentes diminuiu em todo o mundo, de quase 14,2 milhões de mortes em 1990 para pouco mais de 7,2 milhões de mortes em 2015.

 

6) Mortes infantis em colisões de carros

Em 2014, um relatório do governo mostrou que a taxa de crianças americanas morrendo em acidentes de carro diminuiu 43% ao longo de uma década. Isso é amplamente creditado na aplicação do uso do cinto de segurança e procedimentos de segurança adequados para crianças.

 

5) Mortes maternas

Em 2000, os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) foram estabelecidos pelas Nações Unidas para reduzir as mortes maternas e infantis até 2015, e o ritmo de melhoria acelerou, resultando em mortes maternas diminuindo significativamente entre 1990 e 2013.

A grande maioria dos países percebeu reduções rápidas nas mortes maternas e infantis – as mortes infantis diminuíram 3,5% ao ano desde 2000 e as mortes maternas em 2,7% ao ano desde 2003.

 

4) Aviação

De acordo com um relatório da Rede de Segurança da Aviação, 2016 foi o segundo ano mais seguro registrado para a aviação. Perdendo apenas para 2013 – que experimentou apenas 265 óbitos dos 3 bilhões de pessoas que embarcaram em aviões – 2016 terminou com 325 mortes no total, o que representa cerca de 1 em cada 10.769.230 viajantes.

Ao longo da última década, as companhias aéreas experimentaram cada vez menos mortes graças aos procedimentos de segurança recentemente aplicados.

 

3) HIV / AIDS

Graças aos incansáveis ​​esforços dedicados à educação e ao tratamento da doença, um novo relatório diz que o HIV / AIDS não é mais a principal causa de morte na África.

A pesquisa publicada pela organização de verificação de fatos ‘Africa Check‘, que se baseia em números da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostra uma redução de 24% em cinco anos no número de mortes por AIDS / HIV. Os dados refletem uma tendência de diminuição contínua na mortalidade por AIDS / HIV, com 760 mil pessoas morrendo do vírus e suas complicações em 2015, em comparação com 1 milhão em 2010 e 1,5 milhão em 2005.

 

2) AVC

Menos pessoas estão tendo acidentes vasculares cerebrais, e aqueles que têm, tem um menor risco de morrer por eles, descobriu um novo estudo liderado por pesquisadores do Hospital Johns Hopkins, nos EUA.

O estudo descobriu um declínio global de 24% em traços iniciais em cada uma das últimas duas décadas, especialmente entre pessoas com 65 anos ou mais. Uma queda dramática de 20% na mortalidade após acidente vascular cerebral foi registrada em cada década, principalmente entre aqueles com menos de 65 anos. Os resultados foram parecidos em todas as raças e gêneros, uma descoberta que os pesquisadores ficaram encorajados ao descobrir, uma vez que um estudo anterior sugeriu que taxas de AVC entre afro-americanas não estavam melhorando.

 

1) Mortes relacionadas ao tabagismo

Embora não seja tecnicamente um declínio nas mortes em si, fumar cigarros é a principal causa de doenças evitáveis – e, felizmente, mais e mais fumantes estão deixando de fumar todos os anos.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (EUA) divulgaram um relatório no ano passado, afirmando que a quantidade de fumantes americanos adultos caiu 27,7% desde 2005 – isto é, 8,5 milhões de adultos. Este declínio no tabagismo é creditado ao aumento dos preços do tabaco, leis abrangentes de livre de fumo, campanhas de mídia anti-tabaco e acesso livre aos aconselhamento e medicamentos para cessação do tabaco.

Além disso, a quantidade de fumantes britânicos também caiu para um novo recorde de 8 milhões – um declínio de cerca de 2 milhões de fumantes. Mais importante ainda, o consumo de tabaco caiu de 26% para 17%, que é o mais baixo já registrado.

 

Realmente muito boas novas!

(Fonte)


Compartilhe com amigos! Obrigado