Comidas deliciosas que mulheres grávidas devem manter à distância

Compartilhe com as pessoas queridas:

Foto:

Foto: www.momtastic.com

Desculpe. Sabemos que é difícil, mas fique longe! Comer refeições bem balanceadas é sempre a escolha saudável, mas se torna muito mais importante durante a gravidez. As mulheres grávidas precisam de vitaminas, minerais e nutrientes essenciais para que seus bebês se desenvolvam adequadamente. E tão crítico quanto comer os alimentos certos, é igualmente importante evitar certos alimentos que podem fazer mal para o desenvolvimento do bebê.

A nutricionista Martha Rosenau diz: “A maneira como produzimos a nossa comida, próximo aos animais que criamos, é uma preocupação. Essa proximidade pode espalhar toxinas e bactérias em nossos produtos agrícolas e nossas fontes de água.” A eliminação de toxinas e substâncias químicas é o motivo pelo qual a obstetra Dra. Donna Roberts incentiva seus pacientes a comer mais alimentos orgânicos. Roberts entende que orgânico é mais caro, por isso sugere “priorizar a substituição de orgânico em vegetais e frutas que contêm os mais altos níveis de resíduos de pesticidas.”

O Grupo de Trabalho Ambiental enumera uma lista intitulada “a dúzia suja” de produtos agrícolas que são mais frequentemente tratados com produtos químicos. Agora, verifique outras escolhas alimentares de risco para evitar, quando você estiver grávida!

 

VITAMINA A

O exagero de uma coisa boa pode prejudicar o seu bebê. Evite grandes quantidades de vitamina A para reduzir o risco de defeitos congênitos. De acordo com as normas estabelecidas pelo Instituto de Medicina, uma mulher grávida de 19 anos e mais velhas devem receber cerca de 2.565 UI(Unidades Internacionais) de vitamina A diariamente. Considere que 85 gramas de fígado de frango cozido contém 12.325 UI e a mesma porção de 85 gramas de fígado bovino cozido contém 27.185 UI. Não tome suplementos extras de vitamina A. As mulheres vão receber a dose diária recomendada em sua vitamina pré-natal.

 

CAFEÍNA

Estudos estão em andamento, mas a cafeína é conhecida por atravessar a placenta e assim pode aumentar a frequência cardíaca do bebê. Também pode ser um fator no aumento do risco de aborto. Pelo fato dela atuar como um diurético, o excesso de cafeína elimina fluidos corporais e muitas vezes resulta na desidratação e perda de cálcio. Evite-a completamente durante o primeiro trimestre e, depois disso, limite as quantidades diárias para não mais de 2 xícaras. Algumas pesquisas tem mostrado que grandes quantidades de cafeína estão associados ao parto prematuro e baixo peso ao nascer, e podem até causar sintomas de abstinência em seu recém-nascido. Monitore seu consumo de todas as bebidas com cafeína: refrigerantes, chás, e aquele café no café da manhã! Seja cautelosa com chás de ervas também. Pergunte ao seu médico se a sua marca é boa, mesmo aqueles comercializados especificamente para as mulheres grávidas.

 

ÁLCOOL

Não há nenhuma quantidade de álcool conhecida por ser segura durante a gravidez, e a exposição ao álcool no pré-natal pode interferir no desenvolvimento saudável e aumentar o risco de abortos e natimortos. O consumo de álcool em excesso, durante a gravidez, pode causar a síndrome do alcoolismo fetal, resultando em danos ao cérebro do bebê em desenvolvimento e outras condições muito graves, como: deformidades faciais, baixo peso ao nascer, danos ao coração, ou até mesmo retardo mental. Muitas mães que amamentam, não percebem que elas devem continuar a evitar o álcool enquanto estão amamentando, uma vez que o álcool também pode atingir o bebê através do leite materno. Se você está preocupada com o consumo de álcool antes de engravidar, pare de beber agora e fale com o seu médico.

 

CARNES MAL PASSADAS

Frutos do mar mal cozidos e carnes mal passadas, como carne bovina e de aves podem estar contaminados com bactérias e salmonela. Frios podem estar contaminados com listeria, que pode provocar um aborto ou infectar o feto e é a causa de envenenamento do sangue com risco de morte. Se você estiver grávida e estiver comendo esses itens, tome precauções extras: cozinhe bem a sua carne, e sempre reaqueça quaisquer frios à uma temperatura bem alta. Além disso, evite patês de carne refrigerados. Estes produtos são igualmente susceptíveis à bactérias listeria.

 

PEIXE

O consumo de peixe com níveis mais elevados de mercúrio foi associado a sérios atrasos no desenvolvimento e danos cerebrais em bebês. Não corra riscos ingerindo qualquer tipo de peixe que tem um alto nível de mercúrio – incluindo tubarão, peixe-espada, cavala, e alguns tipos de atum. Mariscos crus devem ser banidos de sua dieta de gravidez, por causa das infecções relacionadas com algas e peixes expostos aos poluentes industriais; aqueles especificamente capturados em águas locais também pode ser prejudicial. Peixes pescados localmente, como: anchova, robalo, salmãowalleye e truta podem ser questionáveis. O peixe cru está fora, por isso diga um NÃO de forma firme para o sushi.  Frutos do mar defumados e refrigerados podem transportar listeria e outra contaminação bacteriana. Esses itens são mais normalmente encontrados na seção de delicatessen do seu supermercado. As duas ótimas opções de peixes com baixo teor de mercúrio são o salmão e a sardinha. Limite a ingestão semanal de peixe para 340 gramas.

 

OVO CRU

Antes que você automaticamente insista que nunca come ovos crus, lembre-se que os molhos saborosos, doces caseiros e temperos utilizam esse ingrediente. Ovos crus expõem você ao potencial de salmonelas. Alguns itens caseiros como molhos Ceasar, maionese, cremes e sorvetes, ou um rico molho holandês são feitos com ovos crus. Se a receita é cozida por algum momento, o risco diminue, mas não se arrisque, a menos que você tenha certeza. Quando esses itens são fabricados comercialmente, eles normalmente são feitos com ovos pasteurizados (leia os rótulos) e o mesmo pode ser verdade desses itens quando servidos num restaurante. Pergunte antes de fazer o pedido!

 

QUEIJOS MACIOS

O vilão do queijo macio é aquela mesma bactéria listeria, que pode prejudicar o seu feto com infecção, envenenamento do sangue, ou até mesmo causar o aborto. Evite esses queijos macios durante a gravidez: Brie, Camembert, Roquefort, Gorgonzola e os queijos em estilo mexicano, incluindo Queso Blanco e Queso Fresco. Para alimentar os seus desejos cremosos, há uma série de queijos macios domésticos feitos com leite pasteurizado que são seguros para mulheres grávidas, para comer.

 

FRUTAS E VERDURAS NÃO LAVADAS

Sim, você precisa comer frutas e vegetais, mas sempre lave-os antes de preparar ou comer fresco. Apesar deles serem consagrados como uma excelente fonte de nutrientes essenciais, eles também podem expor você e o bebê que você carrega à toxoplasmose. Esta bactéria pode contaminar o solo, onde a fruta ou vegetal foi cultivado. Seja cautelosa e sempre lave bem as frutas e verduras logo que você a traga para casa, para que você possa desfrutar com segurança dos benefícios dessas escolhas saudáveis. Evite brotos crus de qualquer tipo, incluindo alfafa, trevo, rabanete e feijão mungo (ou feijão-da-China).

 

SUCO E LEITE NÃO PASTEURIZADO

Não corra o risco de transmitir a bactéria listeria para seu bebê por consumir qualquer bebida não pasteurizada. Um em cada cinco casos de listeriose é fatal, e um terço das 2500 pessoas que contraem a doença anualmente, são mulheres grávidas, que são mais suscetíveis devido à redução natural do sistema imunológico durante a gravidez. Os sintomas incluem febre, calafrios, dores musculares e dores nas costas. Quando se espalha para o feto, listeriose muitas vezes leva ao parto prematuro, aborto ou situação de natimorto. Beba apenas bebidas pasteurizadas durante toda a gravidez e enquanto você estiver amamentando.

EAK

Fonte: www.momtastic.com

Termos recentes de pesquisa:


Compartilhe com as pessoas queridas: