Como é que as pessoas conseguem caminhar no fogo?

caminhar no fogo
Homem caminhando sobre o fogo em Sri Lanka, como uma parte de um evento cultural. (Crédito da foto: Aidan Jones / Wikimedia Commons)

Estudos têm mostrado que nos dias realmente quentes de um verão escaldante, quando a temperatura do ar excede 40 °C, o asfalto exposto ao Sol da estrada mede acima de 60 °C. Acontece que mesmo temperaturas ligeiramente inferiores a 60 °C podem facilmente colocá-lo no hospital. Um passeio descalço em uma estrada com uma temperatura de aproximadamente 45 °C por um minuto ou menos pode deixá-lo com queimaduras de segundo grau!

Então, como algumas pessoas podem caminhar em brasas quentes com temperaturas acima de 60 °C, sem nenhum efeito negativo? A resposta não é mágica e misticismo, mas sim física e fisiologia.

A história do caminhar sobre o fogo

Caminhar sobre o fogo, ou “Firewalking” em inglês, é o ato de andar descalço em um piso composto de brasas ou carvão. Embora a caminhada sobre o fogo tenha sido praticada em muitas culturas e comunidades em diferentes partes do mundo, as primeiras referências conhecidas datam da Índia (por volta de 1200 aC).

No passado, a caminhada sobre o fogo tinha um forte componente religioso ou espiritual. Mais especificamente, a caminhada sobre o fogo era usada como um rito de passagem, a fim de testar a força individual ou a fé religiosa. Muitas vezes ela fazia parte da purificação e cura espirituais.

Mais recentemente, muitos charlatães usaram a caminhada sobre o fogo para explorar nossas inseguranças pessoais e ganhar dinheiro com isso. Eles alegam testar sua conexão com um poder supremo, usando a caminhada sobre o fogo. Se você conseguir atravessar as brasas sem se queimar, elas terão crédito por estabelecer a conexão com um poder tão místico para protegê-lo. No entanto, se você falhar ou se queimar, eles passarão a culpa para você, alegando que você não alcançou um “plano de consciência suficientemente alto”!

A ciência do caminhar sobre o fogo

Pesquisa da Conselho da Universidade de Londres para a Pesquisa Psíquica

O Conselho da Universidade de Londres para Pesquisa Psíquica realizou um dos primeiros estudos formais gravados sobre a ciência da caminhada sobre o fogo. Pesquisadores deste conselho estudaram duas fogueiras para entender o fenômeno científico por detrás da caminhada sobre o fogo. Em 1935, um indiano e dois cientistas britânicos atravessaram brasas de carvalho em uma fogueira de 3,6 metros. Dois anos depois, em 1937, outra caminhada sobre o fogo foi estudada pela equipe de pesquisadores, onde mais uma vez um homem indiano e alguns ingleses caminharam sobre o leito de brasas de carvalho. Nenhum dos que caminharam sobre o fogo foram queimados (embora um deles recebeu uma bolha menor).

Após rigorosas análises e estudos pós-evento, o conselho publicou um relatório afirmando que nem a fé religiosa, nem os poderes espirituais tinham algo a ver com a realização do feito impressionante. O relatório concluiu que o segredo da corrida de fogo está na baixa condutividade térmica das brasas e no curto tempo de contato entre os pés da pessoa e as brasas quentes.

Um olhar mais atento sobre a ciência do Firewalking

Para entender melhor a ciência por detrás da caminhada sobre o fogo, precisamos examinar de perto vários fatos que tornam possível andar em uma cama de brasas sem sofrer queimaduras ou ferimentos graves. Primeiramente, aqueles que caminham a brasa acendem o fogo com carvão bem antes do tempo e deixam-no incendiar em brasas não flamejantes. Portanto, deve-se notar que eles estão realmente andando em brasas, e não em fogo.

Em segundo lugar, a madeira e o carvão que são normalmente usados ​​em tais eventos de fogo são considerados um bom isolante térmico. A madeira continua a ser um bom isolante, mesmo quando em chamas, e o carvão vegetal é aproximadamente quatro vezes melhor como isolante do que a madeira seca.

A terceira coisa é que o carreiro de caminhada é frequentemente coberto de cinzas. Em plena luz do dia, essa camada de cinzas é claramente visível, mas como a maioria dos eventos da caminhada sobre o fogo é realizada à noite, essas cinzas parecem brilhar como fogo. A cinza também é um mau condutor de calor e ajuda a diminuir a transferência de calor dos blocos de carvão para os pés.

O quarto fator importante a considerar é o tempo que o pé da pessoa está em contato com as brasas. No entanto, isso não significa que você precise correr para reduzir o tempo de contato. Correr pode realmente empurrar os pés ainda mais fundos nas brasas, resultando em uma queimadura na parte superior do pé. O truque consiste em dar uma caminhada rápida e fluida – com cada passo levando menos de meio segundo de contato com o carvão. Durante uma caminhada de 3 a 4,5 metros, cada pé estará em contato com as brasas por um tempo total de apenas alguns segundos.

Mesmo com essa informação, a caminhada sobre o fogo ainda pode ser perigosa se feita sem o devido cuidado e técnica. Às vezes, uma brasa quente pode se agarrar a seus pés e causar uma queimadura grave. Ainda mais perigoso é o risco de tropeçar e cair nas brasas, o que pode ser extremamente doloroso e até fatal!

(Fonte)

Quer dizer, assim?…

Compartilhe com as pessoas queridas: