Conheça a história real de A Bela e a Fera

Veja como Petrus Gonsalvus chegou à corte real francesa e se casou com Lady Catherine para viver a verdadeira história de A Bela e a Fera.

Todo mundo conhece a história A Bela e a Fera.

Os historiadores coletaram 23 variações de todo o mundo, juntamente com surpreendentes 162 versões da arquetípica “Animal Bridegroom Story“ (História do Noivo de Animais).

No entanto, a versão moderna do conto clássico – escrita pela romancista francesa Gabrielle-Suzanne Barbot de Villeneuve, em 1740, e tornada famosa pelo filme de 1991 da Disney – pode na verdade ser baseada em um homem real e sua família. Seu nome era Petrus Gonsalvus e ele poderia ser o homem por detrás da verdadeira história de A Bela e a Fera. Ele excursionou pela aristocracia europeia, casou-se com uma linda mulher e gerou cinco filhos. E ele realmente estava coberto de pelos.

Petrus Gonsalvus: O ‘homem selvagem’ na corte

Nascido por volta de 1537 (detalhes de sua história permanecem incompletos), Petrus Gonsalvus nasceu nas Ilhas Canárias. Ele começou sua vida como escravo, mas não era um escravo comum. Petrus Gonsalvus tinha hipertricose, ou ‘Síndrome do Lobisomem’. Cabelos compridos cobriam seu corpo, e assim ‘Homem Selvagem’ tornou-se seu apelido.

Com apenas dez anos de idade, Gonsalvus foi dado como um presente para o novo rei da França, Henri II. Ele ficaria lá por mais de 40 anos, sob a proteção do rei e sua esposa, Catarina de Médici de Valois.

Henri II teve um interesse especial em Gonsalvus. Em vez de trancá-lo em uma gaiola, deu a ele uma educação de cavalheiro clássico. Das táticas militares ao latim, Gonsalvus aprendeu tudo que um jovem nobre deveria.

Na verdade, ele era mais educado do que alguns da própria aristocracia.

Conheça a história real de A Bela e a Fera

Petrus Gonsalvus e Lady Catherine. Wikimedia Commons

Durante seu tempo na corte, Gonsalvus também conheceu, namorou e casou-se com uma jovem chamada Catherine, com quem ele acabaria tendo muitos filhos.

Em 1589, após um golpe aristocrático, a família Gonsalvus se viu sem um benfeitor. Durante a turbulência, eles chamaram a atenção do duque de Parma, que enviou Gonsalvus, sua esposa, seu filho e quatro filhas para sua cidade natal. O duque morreu antes que pudesse se juntar a eles, mas sua esposa, Margaret, a duquesa de Parma, imediatamente tomou a família sob sua tutela.

Celebridade Europeia

Antoinetta Gonsalvus. Wikimedia Commons

Na Itália, em 1594, o cientista e médico Ulisse Aldrovandi estava visitando um amigo rico em Bolonha, onde conheceu a filha de Petrus Gonsalvus, Antoinetta, que também tinha hipertricose. Aldrovandi era fascinado por Antoinetta e acabou incluindo xilogravuras e uma descrição da menina em seu livro sobre a deformidade humana.

Antoinetta também seria pintada por Lavinia Fontana. De fato, toda a família Gonsalvus teve seus retratos pintados muitas e muitas vezes. Mas, em vez de serem tratadas como monstros, eles eram amplamente retratados em pinturas como todas as outras famílias aristocráticas – apenas cobertos de pelos.

E das cortes da França para as vilas da Itália, a família viu mais do mundo do que qualquer camponês típico. Eles ficaram perto da realeza e foram estudados por médicos famosos. Finalmente, eles se retiraram para uma pequena vila italiana e desapareceriam da história, deixando apenas seus retratos para trás.

A verdadeira Bela e a Fera

Ilustração de uma cópia sem data da Bela e a Fera. Warwick Goble / Domínio Público

Mas Petrus Gonsalvus não desapareceu completamente da história, pois sua história poderia ser o verdadeiro conto de A Bela e a Fera.

Porém, o conto se originou muito antes de Petrus Gonsalvus. A origem mais provável é a história de Cupido e Psiquê. Mas nessa história, o Cupido certamente não é fera e não é peludo.

Então, a aparência e a vida de Petrus Gonsalvus foram realmente a base da fera no conto de fadas? Bem, as histórias em si não descrevem a besta. Mas todas as ilustrações mostram-lhe coberto de pelos.

Ilustração de uma cópia de A Bela e a Fera, cerca de 1901. Wikimedia Commons

Mesmo que A Bela e a Fera seja semelhante ao conto do Cupido e Psiquê, a maior diferença está na aparência da Fera. E os ilustradores na época de A Bela e a Fera quase certamente teriam visto um dos muitos retratos da família Gonsalvus.

Então, enquanto não podemos ter certeza de que Petrus Gonsalvus foi a verdadeira inspiração de A Bela e a Fera, é bem possível que ele seja, pelo menos, responsável pela imagem do conto clássico que temos hoje.

(Fonte)

 

Compartilhe com as pessoas queridas: