Conheça o “assoalho rouxinol”: Um antigo sistema japonês de detecção de intrusos

Assoalhos barulhentos são irritantes, e é por isso que, quando você procura por “assoalhos barulhentos” no Google, você recebe centenas de artigos oferecendo dicas e conselhos sobre como fazer com que eles parem de fazer ruídos. Mas nas antigas sociedades japonesas, especialmente entre as famílias reais, os assoalhos estridentes não eram odiados, mas desejáveis ​​- porque um piso que faz barulho a cada passo era um sistema eficaz de alarme contra ladrões.

Alguns castelos japoneses construídos durante o período Edo tinham esse tipo de piso nos corredores. Eles são conhecidos como uguisu-bari, onde uguisu refere-se rouxinol japonês – um pássaro muito tímido que prefere ficar escondido entre a folhagem, mas o seu canto de reprodução distinto pode ser ouvido durante a maior parte do Japão desde o início da primavera.

Diz-se que estes pisos rangentes especialmente fabricados soam muito parecidos com os cantos dos pássaros vindos dos arbustos.

assoalho rouxinol

Dentro Ninomaru Palace do castelo Nijo, onde os pisos rouxinol estão instalados. Crédito da foto: Fran Sastre / Flickr

Os pisos rouxinol eram populares durante o período Edo – um período que se estendia desde o início do século XVII até meados do século XIX, quando o Japão estava sob o domínio do xogunato Tokugawa. O período Edo foi consideravelmente pacífico com menos guerras e rivalidade, mas a ameaça dos senhores feudais subordinados do xogun e outros inimigos estava sempre lá.

Quando Tokugawa Ieyasu, o fundador do xogunato Tokugawa, construiu o Castelo de Nijo em Kyoto como sua residência, ele ordenou a seus carpinteiros para instalarem pisos de rouxinol em seus corredores, de modo que qualquer assassino tentando esgueirar-se para dentro do castelo iria alertar imediatamente seus guardas.

Embora as tábuas secas rangem naturalmente sob pressão, os pisos rouxinol têm braçadeiras de metal extras, localizadas entre as vigas que elevam as tábuas do chão do corredor. Cada grampo tem dois furos de ponta através dos quais um prego de ferro passa. Quando alguém caminha sobre as tábuas, o grampo se move para cima e para baixo, fazendo com que o prego esfregue contra o grampo, produzindo um ruído estridente.

Como era impossível atravessar esses corredores sem dar a conhecer a presença deles, guardas e sentinelas desenvolveram um ritmo especial que usariam ao caminhar sobre as tábuas, para que os outros guardas soubessem que era um deles. Se os guardas ouvissem o chão cantando uma música diferente, eles sabiam que tinham um hóspede não convidado e que era hora de soar o alarme.

Os dois melhores lugares para ver e experimentar os assoalhos de rouxinol são o castelo Nijo em Kyoto, e Chion-in, um templo onde a família Tokugawa costumava ficar.

Veja abaixo o assoalho em ação, seguido de fotos da estrutura inferior:

Crédito da foto: Chris Gladis/Flickr

 

Crédito da foto: Kyle Yugawa/Flickr

 

Quando alguém caminha sobre o assoalho, as braçadeiras abaixo se movem para cima e para baixo, e o som é produzido pela fricção entre o prego e a braçadeira. Crédito da foto: Wilson Loo Kok Wee/Flickr

(Fonte)

Compartilhe com as pessoas queridas: