Eis o motivo pelo qual alguns cientistas estão propondo uma proibição global de Glitter

Compartilhe com as pessoas queridas:

proibição global do glitter

Diga adeus a um dos itens que abastece seus trabalhos manuais.

Agora, aqui está o porquê: o microplástico é responsável por uma proporção significativa da poluição oceânica, e um estudo de 2014 descobriu que constituía cerca de 92% dos 5,25 trilhões de pedaços de plástico flutuando em mares ao redor do mundo, de acordo com a Live Science. Embora a maioria dos microplasticos sejam pequenos pedaços que foram quebrados de objetos originalmente maiores, alguma culpa pode ir ao nosso amado estoque de glitter.

Um problema com um oceano cheio de microplásticos é que a vida marinha confunde as pequenas partículas flutuantes por alimentos. Um estudo de 2016 na Science, até descobriu que peixes larvais em águas poluídas acabam preferindo comer plástico do que suas presas naturais. Quando os peixes comem glitter disperso, não só prejudica a saúde e a sobrevivência das espécies, mas também pode acabar em nossos próprios pratos.

Considerando o grave dano ambiental que os microplasticos (e, por sua vez, o glitter) representa para o meio ambiente, alguns cientistas estão até pedindo uma proibição global de glitter.

“Eu acho que todo glitter deve ser banido, porque é microplástico”, disse Trisia Farrelly, professora sênior da Massey University, na Nova Zelândia, ao Independent.

Embora uma proibição oficial não tenha entrado em vigor ainda, não é sem precedentes. Em 2015, o ex-presidente Barack Obama assinou uma proibição contra outromicroplástico comum: as microcontas encontradas em muitos produtos cosméticos e de banho. A produção de todos os produtos contendo microcontas foi oficialmente interrompida em julho de 2017.

(Fonte)


Compartilhe com as pessoas queridas: