O que acontece quando um homem negro de visão encara a Ku Klux Klan?

Compartilhe com amigos! Obrigado

Daryl Davis e a Ku Klux Klan

Daryl Davis, 58, músico e compositor negro, viajou por todos os EUA desde o começo da década de 1980, ativamente procurando e se tornando amigo de membros da Ku Klux Klan.

Davis documentou sua missão no livro ‘Klan-destine Relationships: A Black Man’s Odyssey in the Ku Klux Klan’ (tradução livre do título: Klan-destino: Uma Odisséia de um Homem Negro na Ku Klux Klan), que será lançado novamente numa versão atualizada em 2017.

Daryl Davis diz que muitas vezes ele usa sua música para lançar uma ponte por sobre as diferenças:

Daryl Davis e a Ku Klux Klan

A música teve de forma absoluta um enorme papel para superar muitas barreiras nas divisões raciais que encontrei. Uma vez, quando eu estava me apresentando num local predominantemente branco, um homem branco se aproximou de mim no meu intervalo, colocou seu braço no meu ombro e exclamou: ‘Esta é a primeira vez que escuto um homem negro no piano como Jerry Lee Lewis’.

Nunca tentei converter ninguém do Klan. Simplesmente tento conseguir uma resposta para minha pergunta: ‘Como pode você me odiar, se nem mesmo me conhece?’

Eu simplesmente dou a ele uma chance de me conhecer e os trato da forma que quero ser tratado. Eles chegam às suas próprias conclusões de que esta ideologia não serve mais para eles. Muitas vezes eu sou o ímpeto deles chegarem à essa conclusão e fico muito feliz que alguma positividade resultou de minhas reuniões e amizades com eles.

Daryl Davis e a Ku Klux Klan

Apesar de seu trabalho incrível, Daryl recebe algumas reações estranhas por fazer amizade com pessoas que têm uma visão tão extremista.

Houve surpresa e choque em ambos os lados (negros e brancos), a maior parte por pessoas que não me conhecem, ou que nem se preocuparam em saber sobre mim, ler sobre mim, ou escutar minhas entrevistas ou palestras.

Nem todas, mas a maioria das críticas vêm das pessoas negras. Tenho sido chamado de ‘vendido’, ‘Tio Tom’, ‘Oreo’ (em alusão ao biscoito do mesmo nome que é escuro por fora mas com recheio de creme branco), e outros nomes terríveis.

Infelizmente, devo comparar essas pessoas negras em particular com a KKK e outros grupos supremacistas brancos, sem distinção, a não ser a cor de suas peles.

Daryl Davis e a Ku Klux Klan

Daryl diz que os EUA hoje é menos racista do que já foi no passado, mas ele continua seu trabalho todos os dias.

Esta é uma citação do escritor estadunidense Mark Twain, que acho muito precisa: ‘Viajar é fatal ao preconceito, à intolerância e à visão limitada, e muitas de nossas pessoas precisam disso, justamente por isto. Visões amplas, saudáveis e benevolentes dos homens e coisas assim não podem ser adquiridas quando se vegeta num canto da Terra pela vida toda.

Certamente Daryl é um homem de muita coragem, enfrentando pessoas que não compreendem que é a partir da diversidade do nosso planeta que são tocadas as músicas mais belas.

Parabéns à ele.

eak

Fonte

Termos recentes de pesquisa:


Compartilhe com amigos! Obrigado