Homem no Reino Unido pode ter sido curado do HIV

Compartilhe com amigos! Obrigado

hivMédicos no Reino Unido podem estar prestes a descobrir a cura para o HIV. Um grupo de cinco universidades anunciou que os testes iniciais com 50 primeiros pacientes, que se submeteram a um novo tratamento para tentar curar completamente a doença, não encontraram nenhum vírus no sangue do homem em questão, aumentando as esperanças de que a nova técnica pode ter funcionado. É importante ressaltar que ainda é muito cedo, e só o tempo dirá se este tratamento realmente foi bem sucedida.

O novo tratamento pioneiro envolve três etapas. A primeira é o uso de drogas anti-retrovirais para evitar que as células T – células do sistema imunológico que são infectadas por HIV – criem mais milhões de cópias do vírus. Em seguida, eles infectam os pacientes com um vírus que estimula o sistema imunológico, dando-lhe a capacidade aumentada de encontrar e destruir as células T ainda infectadas.

Finalmente, eles deram uma segunda droga ao paciente, conhecida como ‘vorinostat‘ que ativa as células T dormentes, forçando-as a expressar as proteínas associadas ao HIV e sinalizando ao sistema imune melhorado, o qual pode, em seguida, destruí-las. Esta técnica tem sido chamada de estratégia de “chutar e matar”.

Espera-se que o novo tratamento remova todos os vestígios do vírus do corpo, incluindo naquelas células que o contêm e permanecem dormentes, muitas vezes por anos. Devido a isso, no entanto, significa que os médicos não terão a certeza que este paciente foi realmente curado por um longo período de tempo.

“Seria ótimo se uma cura ocorreu”, o paciente de 44 anos disse ao The Sunday Times. “Meu último exame de sangue foi duas semanas atrás e não há nenhum vírus detectável. No entanto, isso poderia ter ocorrido devido as terapias anti-retrovirais, então teremos que esperar para ter certeza. ”

Apenas uma pessoa é conhecida por ter sido curada do HIV. Em 2007, o americano Timothy Ray Brown foi submetido a um transplante de medula óssea completa na Alemanha, para tratá-lo da leucemia, usando um doador que era imune ao HIV. As células-tronco transplantadas reconstruíram seu sistema imunológico a partir do zero, substituindo suas próprias células cancerígenas com novas, resistentes ao HIV. Três anos após a cirurgia, e apesar de não tomar mais drogas anti-retrovirais, os médicos não conseguiram encontrar nenhum traço do vírus no sangue de Brown, fazendo-o funcionalmente curado de ambas as doenças de uma só vez.

As dificuldades associadas às de encontrar doadores que não só são imunes ao HIV, mas também alguém compatível com o paciente, significam que a substituição do sistema imunológico não é uma opção viável para o tratamento padrão. Mas se os médicos pudessem contornar isto com outros métodos, como aquele sendo julgado atualmente, poderia potencialmente beneficiar as 37 milhões de pessoas ao redor do mundo, com o vírus. Se ele funcionar – e isso é um grande ‘se’ – levará anos até que se torne disponível.

Mas a esperança é grande de que o caminho já está sendo encontrado para a cura definitiva desta terrível doença.

n3m3

Fonte

Termos recentes de pesquisa:


Compartilhe com amigos! Obrigado