Lanchonete japonesa encontra maneira de empregar tetraplégicos como garçons

empregar tetraplégicos como garçons

Os garçons-robôs não são um novo conceito na esfera da tecnologia. Eles já são usados ​​em vários lugares, como o restaurante Naulo, no Nepal, que empregou três garçons humanóides chamados ‘Gingers’. No entanto, uma startup Ory Lab levou esse conceito a um novo patamar.

Neste mês, uma lanchonete Dawn Ver Beta foi aberta em Tóquio, no Japão, por duas semanas. Ela usou os robôs da Orly Lab para atender os clientes, e a parte mais brilhante sobre a lanchonete é que todos os robôs foram controlados remotamente por pessoas com deficiências graves, e até tetraplégicos, com o único propósito de ajudar as pessoas com deficiência a ganhar mais independência em suas vidas.

Havia 10 pessoas trabalhando no café. Os funcionários sofriam de doenças como a esclerose lateral amiotrófica (ELA) e outras lesões na medula espinhal. Elas operavam robôs de 1,30 m chamados OriHime-D, de suas casas, e recebiam 1.000 ienes (US$9) por hora.

Os robôs foram controlados com a ajuda de um computador que rastreia os movimentos dos olhos das pessoas limitadas às suas camas. Elas conseguiam mover os robôs, fazer com que eles pegassem objetos e até conversassem com clientes. Essencialmente, as pessoas com deficiência tinham a capacidade de usar esses robôs como ‘proxies‘.

Kentaro Yoshifuji, CEO da Ory Lab Inc., disse:

Eu quero criar um mundo no qual as pessoas que não podem mover seus corpos possam trabalhar também.

No entanto, esta lanchonete, como o próprio nome sugere, estava apenas na fase beta por algumas semanas. Os criadores ainda estão levantando fundos para abri-la permanentemente em 2020.

(Fonte)

Esta é uma ideia simplesmente espetacular! São coisas assim que contribuem grandemente para deixar nosso mundo melhor para todos…

Compartilhe com as pessoas queridas: