LCI e LCA rendem até 71% acima da poupança, sem o ônus do imposto sobre o rendimento

Compartilhe com as pessoas queridas:

investimentoUm artigo de Sophia Camargo, publicado no site economia.uol.com.br, mostra às pessoas que moram no Brasil uma forma de obter um melhor rendimento em investimentos monetários, sem o ônus do imposto de renda sobre os juros.

Como todos sabem, no Brasil grande parte das pessoas que conseguem poupar algum dinheiro investem na Caderneta de Poupança, pois além de obter um certo grau de segurança em seu investimento, os juros gerados são isentos de impostos e não há uma taxa de administração.  A aplicação em outros tipos de investimentos pode fazer com que o investidor tenha que desembolsar entre 15% a 22,5% para pagar o imposto sobre este rendimento, percentual este que varia de acordo com o tempo que o dinheiro ficou aplicado.

Contudo, como apontado por Sophia, “a baixa rentabilidade da poupança, de 0,5% ao mês mais TR, tem tirado sua atratividade. Em setembro, o investimento apresentou a menor captação desde 2005″.

Mas, para aqueles desiludidos com a Caderneta de Poupança, há uma melhor forma de investimento: O professor Michael Viriato, coordenador do Laboratório de Finanças do Insper afirma que “há opções bem mais vantajosas, como a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)”.

E o quão mais vantajoso seriam estas aplicações quando comparadas com a caderneta de poupança?  Bem, segundo o artigo de Sophia, “uma aplicação de R$ 5.000 na poupança por 36 meses rende R$ 1.135.28. Na LCI, o rendimento é de R$ 1.938.54. A diferença é de 71% a mais para a LCI, segundo simulação da corretora Easynvest”. E segundo Marcio Cardoso, sócio-diretor da Easynvest, nesses últimos meses o rendimento médio da LCI e da LCA foi de 50% a mais do que a Caderneta de Poupança.

E para aqueles que estão preocupados com a questão de segurança, as LCIs e as LCAs têm a mesma segurança da Caderneta de Poupança, pois contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) até o limite de R$ 250 mil, por CPF, por instituição financeira.

Mas então, qual seria a desvantagem destes investimentos?  Bem, a desvantagem é que eles exigem um valor mínimo e um prazo de carência para o investimento, e isto não ocorre com a Caderneta de Poupança.  O prazo de carência das LCIs e LCAs pode chegar até 4 anos, não podendo o dinheiro ser retirado antes do vencimento deste período.

O professor de Finanças da Fiap, Marcos Crivelaro, diz que a poupança ainda é muito adequada para as pessoas que querem poupar suas primeiras economias, podendo servir como uma reserva monetária emergencial.  Ele diz: “Até uns R$ 30 mil, deve ser considerado o ‘volume morto’: não mexe. Quando a pessoa conseguir juntar esse montante, deve começar a guardar novamente e aí poderá diversificar com outras aplicações.”

Segundo Crivelaro, “as LCAs/LCIs são, atualmente, a poupança da classe média. Oferecem segurança, têm isenção de IR, mas é preciso ter um valor maior e um prazo maior para investir. E a classe média tem essa condição.”

De acordo com o artigo, é possível investir em LCI/LCA a partir de R$ 5.000.

n3m3


Compartilhe com as pessoas queridas: