Lesmas podem ser a chave para a nova super atadura

Compartilhe com as pessoas queridas:

super atadura

Atadura colada a um coração de porco. (A lesma é só para homenagear o bichinhos que começaram tudo isso.)

Embora existam algumas situações médicas em que uma atadura normal seja boa o suficiente para curar você, existem outras situações nas quais ela não é suficiente.

Veja isso: muco de lesma. Quando a lesma da espécie Arion Fuscus é ameaçada, ela secreta um muco que torna impossível para qualquer coisa desprendê-la de de onde ela está. Isso é uma má notícia para predadores famintos, mas para pesquisadores biomédicos, isso apresentou uma oportunidade irresistível.

Em um novo estudo publicado na revista Science, os pesquisadores mostraram como um novo e resistente adesivo, inspirado no muco da lesma, poderia funcionar, mesmo nas situações mais escorregadias e encharcadas de sangue.

O muco da lesma funciona, porque tem partículas carregadas positivamente que ajudam a grudá-la a qualquer superfície em que a lesma esteja rastejando. Então, os pesquisadores criaram um gel feito principalmente de água – um hidrogel – com propriedades similares. O adesivo resultante adere-se à uma superfície de três maneiras. Primeiro, através das partículas carregadas positivamente que se grudam à uma superfície, como uma meia adere a sua camisa quando é tirada da secadora. Ele também forma laços fracos com os átomos na superfície desejada, tornando-se fisicamente entrelaçado com as coisas que estão presas a ele.

Misturado à uma matriz super elástica, o resultado é um adesivo flexível e forte que gruda, mesmo em superfícies molhadas – como um coração submetido a cirurgia. Os autores testaram o gel no coração de um porco e em ratos. Não só o adesivo manteve-se tão bem ou melhor aderido do que qualquer coisa já no mercado, mas também revelou-se não tóxico, uma vantagem que algumas alternativas não conseguiram obter.

Jianyu Li, co-autor do artigo, disse:

É um desafio de longa data nos materiais e nos campos biomédicos. Como podemos formar uma adesão forte e efetiva nas superfícies biológicas? Especialmente considerando que no corpo humano você tem sangue e outros fluidos corporais, formar adesões nessas superfícies acaba sendo muito desafiador.

Estes não são os primeiros pesquisadores a recorrer a animais para obter uma “inspiração pegajosa”. Os mexilhões ajudaram a fazer colas similares, inclusive algumas que funcionam embaixo d’água. Outra equipe combinou as habilidades das lagartixas e mexilhões para fazer uma atadura melhor. Há até mesmo uma cola de ossos inspirada por um verme subaquático.

Na sua forma alongada atual, Li diz que o adesivo é adequado para trabalhar em órgãos dinâmicos, tais como o coração e os pulmões, que estão constantemente em movimento ao longo do dia. Como o adesivo pode esticar sem perder força, ele poderia ser usado para fechar buracos nos órgãos, mantendo o sangue ou o ar com segurança em seu lugar. Ou poderia ser usado para conectar um dispositivo como um marca passo, enquanto ainda acomodaria o movimento do coração.

Bem, até agora, isso só foi demonstrado em animais, e não é provável que seja usado em seres humanos ainda por algum tempo. Mas Li e colegas já estão trabalhando no desenvolvimento de outros usos para esta adesão incrivelmente pegajosa. Com mais pesquisas, Li acredita que o adesivo poderá ser usado como método de administração de drogas, liberando drogas a uma medida controlada em um determinado local, dentro do corpo.

Então, ainda bem que as lesmas não são muito rápidas e foram fáceis de serem capturadas para que este novo adesivo fosse desenvolvido. 😀

JNeme

Fonte


Compartilhe com as pessoas queridas: