Artista demora 3 meses para construir modelo de Manhattan com componentes eletrônicos descartados

Compartilhe com as pessoas queridas:

Zayd Menk, um artista muito paciente do Zimbábue, passou três meses construindo um modelo de escala 0,0635:100 do Midtown de Manhattan, a partir de componentes eletrônicos descartados.

O artista de 17 anos, que fez o modelo para um projeto escolar, usou 263 varinhas de cola quente, 27 placas-mãe, 11 CPUs, 10 placas-mãe de monitor CRT, 18 pentes de RAM, 15 baterias, 12 telefones Nokia E-series , 7 fontes de alimentação, 4 relógios, 4 placas de áudio, 3 discos rígidos, 2 telefones e vários outros componentes eletrônicos, para criar versões matematicamente sólidas de arranha-céus e edifícios de Manhattan. Para fazer isso, ele passou a maior parte do tempo coletando dados de sites como Google Maps, Wikipedia e Reddit, e depois fez cálculos para garantir que todas as miniaturas estivessem na escala correta.

modelo de Manhattan com componentes eletrônicos descartados

Foto: Zayd Menk

“Lembro-me da torre do Bank of America, que demorou dois dias para fazer, tentando descobrir todos esses ângulos diferentes”, disse Zayd Menk, referindo-se às dificuldades que teve ao criar prédios emblemáticos de Manhattan a partir de componentes eletrônicos descartados.

Foto: Zayd Menk

Com uma abundância de eletrônicos usados, teria sido uma pena se nada disso acendesse, então o jovem zimbabuense se certificou de ter o Empire State Building iluminado com a ajuda de 4 LEDs.

Foto: Zayd Menk

Zayd refere-se a sua arte como “reciclismo” e descreve-a como “explorar como lixo feito pelo homem pode ser usado para fazer arte”.

modelo de Manhattan com componentes eletrônicos descartados

Foto: Zayd Menk

Veja abaixo o vídeo dele trabalhando em seu projeto:

(Fonte)


Compartilhe com as pessoas queridas: