Mulher de 80 anos finalmente encontra sua mãe biológica, ainda viva

Compartilhe com as pessoas queridas:

Para muitos filhos adotivos, há sempre uma dúvida sobre quem são seus pais biológicos. Algumas pessoas passam a vida inteira tentando rastrear suas raízes biológicas, desvendando o mistério de onde elas vieram.

Depois de uma vida inteira imaginando, uma mulher finalmente descobriu um segredo de família – levando a uma emocionante reunião na Flórida, provando que “antes tarde do que nunca”.

Em 1964, Joanne Loewenstern, de 16 anos, aprendeu uma história chocante sobre seu parentesco: Ela era adotada — e sua mãe biológica estava morta.

Joanne disse à WPTV:

Disseram-me que dois dias depois de eu nascer, minha mãe havia morrido.

Mulher de 80 anos finalmente encontra sua mãe biológica

Joanne Loewenstern (WPTV / captura de tela)

Embora havia sido dito à ela que sua mãe biológica morreu em um hospital do Bronx em 1938, por décadas ela sempre teve um palpite de que ela não estava sendo informada da verdade.

Ela disse:

Eu tinha a sensação de que ela estava viva de alguma forma. Senti que não acreditava nisso por algum motivo.

Se a mãe biológica dela estava viva ou não, ela queria saber mais sobre ela

Ela só tinha um nome para continuar: Lillian Feinsilver. Sem outras informações, ela lutou por décadas para encontrar mais informações, até mesmo contratar um detetive particular. Quando todos os esforços falharam, ela desistiu da esperança.

Joanne disse:

Eu disse: “Sabe o quê? Chega!

Claro, eu chorei, porque você sabe, eu senti como se eu não pertencesse ao círculo de ninguém, e havia acabado.

Joanne agora tem 80 anos de idade, e vive em Boca Raton, Flórida. Mas mesmo depois de desistir de sua busca, seus entes queridos sabiam que ela ainda estava ansiando pela verdade.

Sua nora, Shelley Loewenstern, disse à WPTV:

Ela estava com dor e eu podia ver. Ela estava sempre dizendo “não sei de onde eu sou”.

Então Shelley criou uma conta no site Ancestry.com, esperando que os avanços nos serviços de genealogia pudessem ajudar a traçar o perfil das raízes de Joanne.

Nora de Joanne, Shelley Loewenstern, com marido e filho.

Milagrosamente, o plano funcionou. Shelley ganhou uma correspondência de outro usuário do site chamado Samson Ciminieri e enviou-lhe uma mensagem.

Cimenieri disse:

Ela me perguntou se eu conhecia uma tal de Lillian Feinsilver. Eu disse sim, essa é minha mãe.

Joanne finalmente encontrou sua mãe biológica – e ainda mais incrivelmente, ela ainda estava viva!

Sua mãe, Lillian Ciminieri, tem 100 anos e mora em uma casa de repouso em Port St. Lucie – não muito longe de Boca Raton. Todo esse tempo, a mãe e a filha estavam vivas, vivendo no mesmo estado.

Após 80 anos separadas, as duas finalmente se reuniram – e Joanne sabia que sua longa busca estava realmente acabada.

Ela disse:

Eu pareço com ela, os olhos … Eu sabia que ela era minha mãe.

É um mistério como, exatamente, essas duas foram separadas em 1938. Como Joanne, Lillian teve a impressão de que sua filha estava morta. Depois de dar à luz fora do casamento, foi dito que ela perdeu a criança.

Shelley disse ao Washington Post:

As duas passaram a vida pensando que a outra havia morrido.

Hoje, Lillian sofre de demência, e levou algum tempo para entender o que estava acontecendo. Mas depois de algum tempo, ela entendeu:

 “Esta é a minha filha”, disse ela, de acordo com o Post.

É trágico que elas tenham ficado separadas por tanto tempo, mas nada disso importa agora – essas duas estão determinadas a compensar o tempo perdido enquanto ainda podem, colorindo fotos juntas no local de Lillian.

‘Estou orgulhoso’, disse Loewenstern à WPTV. ‘Isso é algo que eu queria fazer toda a minha vida.’

‘Elas não conseguiram colorir juntas quando ela era uma garotinha, mas nunca é tarde demais para colorir com sua mãe’, disse Elliot Loewenstern, filho de Joanne.

Joanne espera que sua história inspire outras pessoas a procurarem por seus pais biológicos – não importa quanto tempo leve.

Ela disse:

Os filhos devem saber que, se quiserem encontrar suas raízes, eles não devem ter medo de fazê-lo.

Ela planeja visitar sua mãe, tanto quanto possível. Quando ela saiu de lá, ela deu a sua mãe uma foto colorida com uma mensagem prometendo que não seriam separadas novamente.

(Fonte)

Realmente: “Antes tarde, do que nunca!”

 


Compartilhe com as pessoas queridas: