Neurocientista diz que você pode enxergar o futuro

 Autora e neurocientista cognitiva Julia Mossbridge. (Cortesia)

Promovendo uma comunidade ética ‘Precog‘, o novo livro da futurista Julia Mossbridge apresenta o que ela afirma ser evidência de que você pode aprimorar sua capacidade de enxergar o futuro.

Poucos dias após a morte de sua avó, a neurocientista cognitiva, futurista e autora Julia Mossbridge teve um sonho. No sonho, sua avó disse a ela: “Você sabe Julia, eu sempre leio o livro da direita para a esquerda.” 

Mossbridge disse ao The Times of Israel em uma entrevista recente em vídeo durante uma turnê do livro nos EUA:

Isso era o quão pouco eu sabia sobre o judaísmo na época. Eu não sabia que hebraico era escrito da direita para a esquerda. Mas eu contei à minha mãe sobre o sonho e ela disse: ‘Ah, é interessante. O hebraico é escrito da direita para a esquerda. Sua avó não era judia, mas isso é interessante.

Não foi muito tempo depois do sonho que a família encontrou uma relíquia de família que sua avó possuía: um pequeno pergaminho armazenado em um saquinho de plástico. O pergaminho pertencia à família do pai de Mossbridge há gerações.

Com o pergaminho havia uma nota manuscrita: “Tenho certeza de que se trata de um pergaminho chinês vindo de um de nossos parentes missionários”. 

Mossbridge deu uma olhada no pergaminho e sabia que não estava escrito em chinês. Ela tinha certeza, na verdade, que estava escrito em hebraico. Passaria mais alguns anos, e mais algumas ocorrências estranhas, mas comoventes e inexplicáveis ​​ligadas ao judaísmo, antes que Mossbridge entendesse que ela foi, em suas palavras, “chamada” para a religião. Ela se converteria aos 30 anos de idade – depois de acidentalmente se deparar com o serviço do Yom Kippur nos dias de semana em um auditório na Northwestern University e ser levada às lágrimas pelo sermão do rabino sobre a unidade. 

Agora, 20 anos depois, Mossbridge, pesquisadora do Institute for Noetic Sciences, localizado perto de sua casa no norte da Califórnia, e pesquisadora visitante no departamento de psicologia da Northwestern, é co-autora de um livro que alguns podem dizer que é a respeito de estranhas ocorrências inexplicáveis. Mossbridge provavelmente discordaria. 

O livro “The Premonition Code: The Science of Precognition” (Título em tradução livre: “O Código da Premonição: A Ciência da Precognição”) co-escrito por Julia Mossbridge e a escritora best-seller Theresa Cheung, e elogiado por Deepak Chopra e Eben Alexander – é sobre seres humanos comuns que têm experiências aparentemente extraordinárias. “Você já teve a sensação de que algo iria acontecer e aconteceu?”, indaga a contracapa. “Você teve um sonho e depois viu isso acontecer em sua vida?”

Embora a maioria das pessoas desconsidera essas premonições como coincidências, mais e mais evidências científicas indicam que a precognição é realmente uma habilidade aprendida que todos podemos praticar e aprimorar, em vez de um poder possuído por alguns oráculos modernos e excepcionais. 

Mossbridge explica:

A precognição é colocada em duas caixas, dependendo se você é um cientista ou não. Mas nenhuma das caixas é precisa.

Os não-cientistas tendem a colocar a precognição – mesmo que eles achem real – na caixa de “Uau, isso é estranho”. Embora a maioria dos cientistas ache que a crença da cultura pop nessas coisas é equivocada. A maioria não sabe quão rigorosos são esses estudos, não lê a literatura, e os meus menos favoritos não estão nem mesmo dispostos a conversar com alguém que faz pesquisa sobre isso.

Mossbridge é apaixonada pelo que ela pesquisa, escreve e faz palestras sobre os assuntos do tempo, inteligência artificial, precognição controlada e amor incondicional. 

Envolvida em uma variedade de projetos de ponta, inclusive o projeto de pesquisa “loving AI,” da Hanson Robotics, muito quer compartilhar com o mundo o que ela aprendeu sobre como “lidando com os mistérios do tempo leva as pessoas a mudar suas vidas para melhor.”

Ela diz:

Há evidências de precognição e em física para retrocausalidade [coisas no futuro causando efeitos no passado]. Como as pessoas me enviam e-mails dizendo constantemente: “Eu tenho esse problema em que estou prevendo eventos futuros e não sei o que fazer” ou “Gostaria de poder prever eventos futuros”, queria escrever um livro que ajudasse as pessoas a colocarem isso sob controle de uma maneira positiva e colocar uma moldura em volta que diga que você pode fazer isso de uma maneira que seja ética, de uma forma que ajude o mundo, de uma maneira consistente com suas crenças religiosas, de uma forma que enriqueça sua vida.

Ajudar o mundo servindo-se de exercícios e técnicas apoiados cientificamente para conhecer o futuro requer um exame cuidadoso da própria postura ética da precognição. Para esse fim, parte do livro é dedicada ao cultivo de uma comunidade “Positive Precog”, um grupo global de indivíduos desenvolvendo suas habilidades precognitivas para a melhoria da sociedade. O grupo esforça-se para aprender e evoluir, além de incorporar cinco princípios “REACH” descritos no livro e na pesquisa, treinamento e website da comunidade do “Premonition Code”: 

  • Respeito pelo desconhecido 
  • Ética em nosso uso da precognição
  • Precisão de nossas habilidades precognitivas 
  • Compaixão por nós mesmos e outros 
  • Honestidade em todas as nossas ações

O website “Premonition Code” também apresenta vídeos de Mossbridge que demonstram alguns dos exercícios descritos no livro. Mas a exibição do vídeo não foi uma coisa única. A própria Mossbridge é uma Precog Positiva

Ela diz:

Minha prática de precognição controlada é como uma prática de meditação: é uma maneira de saber o que há em minha alma e de me conhecer ao longo do tempo.

Eu penso em cada um dos eventos da nossa vida como contas em um colar e a precognição controlada é como fazer o colar, fazendo a conexão entre os nossos eus do passado e do futuro. Há algo extremamente fortalecedor e poderoso em se conectar consigo mesmo ao longo do tempo…

Mossbridge teve uma relação profunda com Deus desde que ela era uma criança pequena, ela diz. E ela está profundamente envolvida na investigação científica desde então.

Ela diz:

Eu vejo a ciência como um caminho espiritual, como um caminho místico. Com a ciência, há incógnitas, mas também há esses rituais para encontrar as respostas. Você não sabe se os rituais vão funcionar ou se são os rituais certos, mas são tudo o que você tem.

É a mesma coisa com o judaísmo. Eu acho que é por isso que temos tantos cientistas judeus. É fácil ir de “Eu estou tentando descobrir os mistérios do universo e estes são meus rituais para fazê-lo”, para “Eu estou tentando descobrir os mistérios do universo e estes são meus rituais para faze-lo”.

É a mesma coisa, mas apenas rituais diferentes….

(Fonte)

Quem aqui já não teve uma precognição? Parece ser algo muito comum, mas ignorado pela maioria.

Compartilhe com as pessoas queridas: