O buraco do ozônio está diminuindo e pode ser completamente reparado em pouco tempo, diz relatório da ONU

O buraco do ozônio está diminuindo e pode ser completamente reparado em pouco tempo

Este novo e empolgante relatório nos dá uma notícia ambiental para ser comemorada: a camada de ozônio está lentamente, mas seguramente, sendo reparada.

Graças aos esforços da humanidade para reduzir a quantidade de substâncias destruidoras de ozônio (SDOs) sendo introduzidas na atmosfera da Terra, organizações científicas de todo o mundo estão relatando um ponto de virada na luta contra o esgotamento da camada de ozônio.

De acordo com o relatório on-line divulgado pela Organização das Nações Unidas nesta semana, o infame buraco na camada de ozônio poderia ser totalmente curado na década de 2060 – e em algumas áreas do mundo, poderia ser em 2030.

O relatório afirma:

…Pela primeira vez, há indicações emergentes de que o buraco na camada de ozônio na Antártica diminuiu em tamanho e profundidade desde o ano 2000… …o peso da evidência sugere que o declínio em SDOs contribuiu substancialmente para com as tendências observadas.

Essa é uma boa notícia, tanto para o meio ambiente, quanto para nossas consciências. Embora qualquer notícia positiva sobre a condição do nosso ambiente seja motivo de celebração, devemos refletir por um momento para reconhecer os passos que nos levaram a este ponto. Em 1987, um acordo conhecido como Protocolo de Montreal exigia a eliminação ou a redução significativa de produtos químicos encontrados em produtos de consumo, como geladeiras e latas de aerossol, que eram prejudiciais à camada de ozônio. O abandono desses produtos químicos resultaria na “prevenção de mais de 280 milhões de casos de câncer de pele, aproximadamente 1,6 milhão de mortes por câncer de pele, e mais de 45 milhões de casos de catarata, somente nos Estados Unidos até o final do século”, segundo o relatório. Departamento de Estado dos E.U.A.

O tratado foi concebido pelo governo canadense e posteriormente ratificado pelos Estados Unidos em 1988. Desde então, o Protocolo de Montreal tornou-se o primeiro tratado a receber a ratificação universal de todos os países do mundo – e agora, temos provas de que está provando ser bem sucedido.

Isto só serve para mostrar que quando os líderes do mundo se unem pelo bem comum e colaboram sob o auspício de uma responsabilidade compartilhada, coisas maravilhosas – e até surpreendentes – podem acontecer.

(Fonte)

Bom trabalho, pessoal!

Compartilhe com as pessoas queridas: