O mamute-lanoso, que viveu na idade da pedra, poderá retornar

Compartilhe com as pessoas queridas:

Mamute-lanoso frente a um humano. Foto: Renegado Pictures

Tamanho aproximado de um mamute-lanoso adulto frente a um humano. Foto: Renegade Pictures

Cientistas estão dizendo que podem ser capazes de trazer de volta o extinto mamute-lanoso, através de clonagem.

Em 2013, o corpo congelado de um mamute foi encontrado na Sibéria.  Por estar congelado, o corpo estava bem preservado.  De acordo com os resultado da datação por carbono, eles foram capazes de identificar que a mamute fêmea, agora chamada de Buttercup, caminhava pela Terra há 40.000 anos.

 De acordo como Daily Mail, o mamute teria morrido aos 50 anos e tinha aproximadamente 2,4 de altura.  A maior parte do corpo de Buttercup ainda está intacta, inclusive sua tromba, cabeça, e três pernas, mas cientistas presumem que ela tenha sido comida por predadores.  A carne estava bem preservada e líquido vermelho escorreu de seu corpo quando foi perfurado

Com um corpo bem preservado, os pesquisadores esperam encontrar um núcleo de célula que contenha o DNA do mamute.

A autópsia de Buttercup será mostrada num documentário intitulado Woolly Mammoth: The Autopsy (Mamute-Lanoso: A Autópsia), que irá ao ar em 23 de novembro no Canal 4 do Reino Unido.  Um documentário diferente, How to Clone a Woolly Mammoth (Como Clonar um Mamute-Lanoso), terá sua primeira apresentação no Canal Smithsoniano, em 29 de novembro nos Estados Unidos.

O documentário também mostrará os esforços feitos pelos cientistas nos EUA e na Coréia do Sul a respeito da clonagem do mamute-lanoso.  A Dra. Tori Herridge, uma paleobióloga do Museu Natural de História, que trabalhou na Buttercup, está muito empolgada com a descoberta.

“Como paleontologista, você normalmente tem que imaginar os animais extintos nos quais você trabalha.  Assim, vindo realmente cara-a-cara com um mamute em carne e osso, e ter o fígado de um mamute que é liso, úmido – e francamente fedido, até os meus cotovelos, conta como uma das mais incríveis experiências da minha vida.  Está par a par com o dia do meu casamento.”

Ela também disse que a análise interna dos órgãos e músculos de Buttercup darão uma melhor compreensão sobre os mamutes-lanosos.

Insung Hwang, um geneticista da Coréia do Sul, disse que trazer de volta o mamute-lanoso através de engenharia genética, ou clonagem, é um processo longo, mas eles estão tentando o melhor possível para fazer isso ainda em “nossa geração”.

“Há a possibilidade de encontrar algo espetacular.  Estamos muito esperançosos que este mamute possa nos dar um mapa genômico preciso do que poderemos usar como uma ‘fôrma’ no futuro para possivelmente trazer o mamute de volta.”

Caso a clonagem não obtenha sucesso, os cientistas têm um ‘Plano B’, que tem algo a ver com a criação de híbridos genéticos de mamute com elefante.

EAK

Fontewww.inquisitr.com

Termos recentes de pesquisa:


Compartilhe com as pessoas queridas: