Oito novos planetas são encontrados na zona habitável de suas estrelas

Compartilhe com amigo(a)s! Obrigado. :)

Representação artística de como um desses planetas pode parecer.

 

Astrônomos anunciaram hoje que encontraram oito novos exoplanetas nas zonas habitáveis da órbita de suas estrelas, que é onde a água no estado líquido pode existir na superfície de um planeta. Estamos melhorando nossa habilidade de encontrar planetas!

Esta descoberta faz com que seja dobrado o número de pequenos planetas (com menos do dobro do diâmetro da Terra), os quais possivelmente estão nas zonas habitáveis de suas estrelas mãe. Entre estes oito planetas, a equipe identificou dois que são os mais similares à Terra de quaisquer outros planetas conhecidos até hoje.

“A maioria destes planetas possuem uma boa chance de serem rochosos, como a Terra, disse o autor do estudo, Guillermo Torres, do Centro para Astrofísica Harvard-Smithsonian (CfA).  Estas descobertas foram anunciadas hoje em conferência de imprensa, numa reunião na Sociedade Astronômica Americana. Os dois planetas deste grupo, mais parecidos com a Terra, são o Kepler-438b e oKepler-442b.  Ambos estão orbitando estrelas anãs vermelhas, as quais são menores e mais frias do que o nosso Sol. O Kepler-438b circula a sua estrela a cada 35 dias (da Terra), enquanto o Kepler-442b completa sua órbita a cada 112 dias.

De acordo com os cálculos da equipe, com o diâmetro de somente 12 por cento maior do que a Terra, o Kepler-438b possui 70% de chance de ser um planeta rochoso. Kepler-442b é aproximadamente um terço maior do que a Terra, mas ainda tem 60% de chance de ser rochoso.

Para estar na zona habitável da órbita de uma estrela, um exoplaneta deve receber aproximadamente tanta luz solar quanto a Terra. Muita radiação fará com que a água ferva e vire vapor. Pouca luz e a água congelará. “Para nossos cálculos, escolhemos a adoção dos limites mais amplos possíveis que possam, de forma plausível, levar às condições apropriadas para a vida”, diz Torres.

Ilustração da zona habitável ao redor de uma estrela.

 

Kepler-438b recebe aproximadamente 40% mais luz do que a Terra. (Em comparação, Vênus recebe duas vez mais radiação solar do que a Terra). Como resultado, a equipe calcula que ele tenha 70% de probabilidade de estar na zona habitável de sua estrela. Já Kepler-442b recebe aproximadamente dois terços da luz recebida pela Terra. Os cientistas dão a ele 97% de chance de estar na zona habitável. “Não sabemos com certeza se qualquer dos planetas em nossa amostra sejam verdadeiramente habitáveis”, explica o segundo autor do estudo, David Kipplin da CfA. “Tudo que podemos dizer é que eles são candidatos promissores.”

Antes disso, os dois planetas descobertos mais parecidos com a Terra eram o Kepler-186f, que é 1,1 vez o tamanho da Terra e recebe 32% de luz, e o Kepler-62f, que é 1,4 vez o tamanho da Terra e recebe 41% de luz.

A equipe estudou os candidatos planetários que foram primeiramente identificados pela missão Kepler da NASA. Todos os planetas eram muito pequenos para que fossem confirmadas as suas massas. Ao invés disso, a equipe os validou através do uso de um programa de computador chamado BLENDER, a fim de determinar se eles eram planetas estatisticamente prováveis. O BLENDER foi desenvolvido por Torres e seu colega François Fressin, e é executado no supercomputador Pleiades da NASA. Este é o mesmo método que tem sido utilizado anteriormente para validar algumas das descobertas mais icônicas do telescópio Kepler, inclusive os dois primeiros planetas do tamanho da Terra ao redor de uma estrela similar ao nosso Sol, e também o primeiro exoplaneta menor do que Mercúrio.

Após a análise do BLENDER, a equipe despendeu mais um ano agregando observações. Essas observações também revelaram que quatro dos novos planetas validados estão em sistemas solares múltiplos. Porém, as estrelas companheiras estão distantes e não influenciam significativamente os planetas. Quanto as descobertas feitas pelo Kepler, os recém descobertos planetas estão distantes o suficiente para tornar novas observações desafiadoras. O Kepler-438b está localizado a 470 anos luz da Terra, enquanto o Kepler-442b está a 1.100 anos luz de distância de nós.

EAK

Fonte: www.davidreneke.com

Termos recentes de pesquisa:


Compartilhe com amigo(a)s! Obrigado. :)