Os anjos são reais?

Compartilhe com amigos! Obrigado

Os anjos são reais?

Anjos nos cercam o tempo todo – figurativamente, se não literalmente – especialmente durante as férias. Eles aparecem em pinturas, gravuras, estatuetas, camisetas, pôsteres e quase tudo mais. Anjos aparecem em várias religiões. Por exemplo, no Islã, diz-se que os anjos são feitos de luz, enquanto os anjos cristãos foram criados por Deus.

As primeiras versões dos anjos não tinham sexo, embora mais tarde os anjos cristãos fossem homens altos e magros, com feições suaves, muitas vezes vestidos com mantos que fluíam, especialmente adaptados em torno de suas grandes asas brancas. Dizem que os anjos são imortais ou muito longevos.

Embora originalmente fossem especificamente figuras religiosas, os anjos se tornaram mais seculares ao longo dos anos, e hoje estão amplamente associados ao movimento da Nova Era povoado por pagãos, ateus e aqueles que se consideram ‘espirituais’. Livros sobre anjos e contato angélico são muito populares… Eles normalmente contêm discussões de anjos nas escrituras, juntamente com histórias verdadeiras e reconfortantes dos milagres modernos atribuídos aos visitantes celestiais.

Programas populares de televisão como ‘Highway to Heaven‘ (O homem que veio do céu [Brasil] e Um Anjo na Terra [Portugal], 1984-1989) e ‘Touched by an Angel‘ (O toque de um anjo, 1994-2003) ajudaram a cimentar a proeminência dos anjos na cultura popular americana (e mundial).

Anjos ocasionalmente aparecem em relatos de experiências de quase morte, embora principalmente naqueles que têm uma crença pré-existente neles. Entre os que acreditam em OVNIs, alguns afirmam que abdutores alienígenas são na verdade anjos em vez de extraterrestres.
Erich von Daniken, por exemplo, autor de vários livros populares na década de 1970, afirmou que as histórias bíblicas de Abraão e José descrevem-nos encontrando alienígenas, e não anjos.

 

Anjos religiosos

A palavra ‘anjo’ vem da palavra grega ‘anglos’, que significa ‘mensageiro’ em hebraico. Os anjos podem assumir muitas formas, geralmente aparecendo como humanos ou como uma luz ou aura brilhante. Muitas vezes – especialmente em casos de tragédia evitada ou desastre – os anjos não serão vistos, mas sim sua presença reconhecida por suas ações. Se algo de bom, inesperado e aparentemente inexplicável acontece, muitas vezes é presumido como resultado da intervenção divina ou angélica.

Os anjos com os quais a maioria das pessoas está familiarizada hoje são os anjos cristãos, originários dos Testamentos Hebraicos. A Igreja Católica dedicou um esforço considerável para descrever e desenvolver uma extensa hierarquia de anjos. Havia muitos tipos diferentes de anjos, arcanjos, serafins e assim por diante, com um censo oficial de quase meio milhão.

Em seu livro “A Dictionary of Angels” (Um Dicionário de Anjos) (The Free Press, 1967), o pesquisador Gustav Davidson dedica quase 400 páginas à identificação e listagem de anjos. Muitos anjos foram criados (ou endossados) por autoridades religiosas, mas outros foram fabricados por estudiosos e leigos religiosos. Como Davidson observa, “inventar um anjo, uma hierarquia ou uma ordem em uma hierarquia, requeria alguma imaginação, mas não muita engenhosidade. Era suficiente apenas 1) embaralhar as letras juntas do alfabeto hebraico; 2) justapor tais letras na forma anagramática, acronímica ou criptogramática; e 3) identificar qualquer lugar, propriedade, função, atributo ou qualidade ‘usando os sufixos’ -el ‘ou’ -irion’. Assim, de acordo com Davidson, “Hod (significando esplendor) foi transformado no anjo Hodiel”. Dessa forma, assim como os antigos gregos criaram essencialmente um panteão de deuses para adorar, os entusiastas dos anjos criaram um panteão de anjos – alguns mais historicamente legítimos do que outros.

No cristianismo e no islamismo, os anjos funcionam principalmente como mensageiros de Deus (principalmente anunciando nascimentos e mortes), mas nos tempos modernos eles funcionam mais como guardiões. De fato, a palavra ‘anjo’ veio descrever qualquer herói ou benfeitor. Embora os anjos, por sua natureza, sirvam a Deus, eles também servem à humanidade diretamente. Os anjos executam uma grande variedade de tarefas, desde curar doentes e encontrar chaves perdidas, até ferir inimigos e, claro, ganhar jogos de futebol. Muitos acreditam que os anjos vêm quando convocados, e há uma longa tradição de pessoas usando feitiços mágicos e encantos para trazer anjos até eles.

 

‘Anjos reais’

Apesar de séculos de especulações teológicas sobre os anjos – desde o número deles até seus deveres, até quantos podem dançar na cabeça de um alfinete – ninguém sabe se eles existem fora de histórias e lendas. Muitas pessoas acreditam que sim.

Platão e Aristóteles, por exemplo, estavam convencidos de que eles existiam. Nos tempos modernos, as pesquisas sugerem que quase 70% dos americanos acham que os anjos são reais. Em seu livro ‘Paranormal America‘, os sociólogos Christopher Bader, F. Carson Mencken e Joseph Baker observam:

Os anjos permeiam a cultura popular em livros, programas de televisão e filmes. … Os crentes trocam depoimentos informais em boletins e conversas interpessoais sobre o potencial poder dos anjos para influenciar o mundo, e mais da metade dos americanos (53%) acredita que eles foram salvos pessoalmente por um anjo da guarda.

Uma Baylor Religion Survey de 2007 (enquete) descobriu que 57 por cento dos católicos, 81 por cento dos protestantes negros, 66 por cento dos evangélicos protestantes e 10 por cento dos judeus relataram ter uma experiência pessoal com um anjo da guarda. E 20% daqueles que se identificaram como não tendo religião também alegaram ter encontrado um anjo.

Em um famoso encontro com anjos de 2008, uma mulher da Carolina do Norte, chamada Colleen Banton, afirmou que um anjo milagrosamente curou sua filha. Enquanto estava na sala de espera de um hospital, Banton notou que um raio de Sol apareceu por uma janela próxima e brilhava no corredor do lado de fora do quarto da filha. Sua filha logo melhorou e Banton atribuiu a recuperação à visita dos anjos. (Enquanto todos estavam contentes com a recuperação da menina, outros notaram que o raio de Sol aparece regularmente naquele local, na porta de pacientes que se recuperam e que não se recuperam.) Embora os anjos digam que moram no céu, as visitas ao reino terreno nem sempre são benevolentes. O anjo mais famoso, é claro, é Satanás, que se rebelou contra Deus e foi expulso do céu. Ele começou sua própria organização e está indo bem desde então. Anjos bíblicos fazem guerra, sitiam cidades e matam pessoas. O arcanjo Miguel, por exemplo, é frequentemente descrito como o líder do Exército de Deus, destruindo exércitos com seus poderes terríveis e espada flamejante. Esses anjos vingadores parecem ter desaparecido nos tempos modernos em favor da variedade benevolente.

Anjos são duradouramente populares por muitas razões, inclusive porque representam amor incondicional e apelam para a experiência pessoal. Qualquer boa sorte, coincidências significativas ou surpresas agradáveis ​​inesperadas podem ser interpretadas como o trabalho dos anjos. Sejam reais ou fictícios, os anjos estão com os humanos há milênios e sua presença continuará a confortá-los.

(Fonte)

E quanto a você?  Qual é a sua opinião a respeito dos anjos?

Seu comentário é muito bem vindo, desde que respeite a opinião dos outros.

Termos recentes de pesquisa:


Compartilhe com amigos! Obrigado