Pesquisadores desenvolvem teste barato de 10 minutos para detecção de câncer em qualquer lugar do corpo

Pesquisadores desenvolvem teste barato de 10 minutos para detecção de câncer em qualquer lugar do corpo

Cientistas australianos estão sendo aclamados por terem desenvolvido um teste rápido e fácil que pode detectar qualquer tipo de câncer em questão de minutos. 

O câncer é uma doença extremamente complicada e variável, e diferentes tipos de câncer têm assinaturas diferentes. Até agora, os cientistas tiveram dificuldade em encontrar uma assinatura simples que fosse distinta das células saudáveis ​​e comuns a todos os cânceres – mas a equipe foi finalmente capaz de identificar um biomarcador único que era comum em todos os tipos de câncer examinados, incluindo próstata, colorretal, linfoma e várias formas diferentes de câncer de mama. 

Os pesquisadores descobriram que – em um paciente saudável – há pequenas moléculas chamadas grupos metila que se espalham pelas estruturas do DNA. No entanto, uma vez que os grupos metila são dramaticamente afetados pela presença de câncer, seus padrões e grupos mudarão suas formações.

A equipe então desenvolveu uma ferramenta simples que poderia pesquisar e identificar essas mudanças de padrão em questão de minutos.

Laura Carrascosa, uma das pesquisadoras da Universidade de Queensland, envolvida no projeto, disse:

Em células saudáveis, esses grupos metila estão espalhados pelo genoma, mas os genomas das células cancerígenas são essencialmente estéreis, exceto por grupos intensos de grupos metila em locais muito específicos

O professor Matt Trau disse que sua equipe descobriu que grupos intensos de metilados colocados em uma solução faziam com que fragmentos de DNA cancerosos se dobrassem em nanoestruturas tridimensionais únicas que poderiam ser facilmente separadas, aderindo a superfícies sólidas, como o ouro. 

Ele explicou:

Projetamos um teste simples usando nanopartículas de ouro que instantaneamente mudam de cor para determinar se as nanoestruturas 3D do DNA do câncer estão presentes.

Ele disse que as células cancerosas liberaram seu DNA no plasma sanguíneo quando morreram. 

Trau ainda informou:

Então, ficamos muito empolgados com uma maneira fácil de pegar essas assinaturas de DNA de câncer em circulação no sangue. Descobrir que as moléculas de DNA cancerígeno formaram nanoestruturas 3D completamente diferentes do DNA circulante normal foi um avanço, o qual permitiu uma abordagem inteiramente nova para detectar o câncer de forma não invasiva em qualquer tipo de tecido – inclusive no sangue. 

Isso levou à criação de [nossos] dispositivos de detecção baratos e portáteis, que poderiam finalmente ser usados ​​como uma ferramenta de diagnóstico, possivelmente com um telefone celular.

A nova tecnologia provou ser até 90% precisa em testes envolvendo 200 amostras de câncer humano e DNA normal. Se ela continuar a ser bem-sucedida em testes clínicos, a tecnologia poderá ser usada junto com smartphones para oferecer exames de câncer baratos e eficazes às massas, especialmente em regiões rurais ou subdesenvolvidas do mundo. 

O co-pesquisador, Dr. Abu Sina, informou:

O câncer é uma doença complicada, [e atualmente] cada tipo tem um sistema diferente de testes e triagem. Na maioria dos casos, não há um teste geral para analisar seu status. Atualmente, as pessoas só vão [fazer check-up] se tiverem sintomas. Queremos que [o rastreio do câncer] faça parte de um check-up regular.

Além disso, ter acesso a rastreios de câncer frequentes poderia afetar drasticamente as taxas de mortalidade por câncer, pois a detecção precoce do câncer pode aumentar muito as chances de sobrevivência do paciente. 

Trau ainda disse:

Certamente não sabemos ainda se este é o Santo Graal para todos os diagnósticos de câncer, mas parece realmente interessante que isto possa ser um marcador universal incrivelmente simples de câncer, e uma tecnologia acessível e barata que não requer equipamentos complicados baseados em laboratório, tal como o Sequenciamento de DNA.

A pesquisa, conduzida na Universidade de Queensland, foi publicada na revista Nature Communications.

(Fonte)

Este é realmente um grande avanço que poderá salvar milhares de vidas a cada ano. Que seja muito bem-vindo e logo entre em produção.

Compartilhe com as pessoas queridas: