Policial convence skinhead de remover suas tatuagens nazistas

Compartilhe com amigo(a)s! Obrigado. :)

tatuagens nazistas

O ex-skinhead Michael Kent e sua policial agente de liberdade condicional Tiffany Whittier.

O morador do estado do Colorado (EUA), Michael Kent, recentemente sentou-se em um salão de tatuagem na cidade de Colorado Springs para que suas tatuagens de suásticas fossem cobertas.

Kent, um ex-neonazista, diz que uma policial agente de liberdade condicional afro-americana, chamada Tiffany Whittier, o ajudou a ver além da cor da pele e a mudar suas opiniões sobre a supremacia branca.

Kent disse:

Se não fosse por ela, eu teria voltado. Eu olho para ela como família.

Tiffany Whittier, de 45 anos, até inspirou Kent, de 38 anos, a tirar as bandeiras nazistas que ele pendurava na sala de estar e substituí-las por caras sorridentes.

Ela disse:

Não estou aqui para julgá-lo. Não é meu trabalho julgar. Meu trabalho é ser essa pessoa positiva na vida de alguém.

Kent ainda disse:

Quando você acorda e vê um rosto sorridente, você vai trabalhar e você vai sorrir.

O ex-skinhead Michael Kent dá à sua ex-agente de liberdade condicional, Tiffany Whittier, um abraço, depois que ela o surpreendeu em sua casa.

Kent agora trabalha em tempo integral em uma granja de frangos no Colorado, onde todos os seus colegas de trabalho são hispânicos.

Ele disse:

Antes de tudo isso, eu não trabalharia para ninguém ou com alguém que não fosse branco. [Agora] temos festas da empresa, ou eles têm quinceañeras (aniversários de quinze anos dos filhos), eu sou o único homem branco lá!

Redemption Ink, uma entidade nacional sem fins lucrativos que oferece remoções gratuitas de tatuagens relacionadas ao ódio, ajudou a conectar Kent com a Fallen Heroes Tatuagem no Colorado, para iniciar o processo de 15 horas e cobrir suas tatuagens. O ambiente estéril é novo para Kent que teve seu trabalho de tinta anterior feito na prisão.

Ele disse:

Nunca, nunca, nunca estive dentro de um salão de tatuagens, fazendo uma tatuagem profissional.

Kent acredita que o processo doloroso o ajudará a avançar depois de passar anos como membro de um grupo de skinheads violentos com sede no estado do Arizona. Como pai de duas crianças pequenas, Kent também espera que seus filhos vejam o mundo de maneira diferente.

Ele disse:

Eu não quero que meus filhos vivam a vida que vivi e vivam com o ódio. ‘Eu quero que meus filhos me conheçam por quem eu sou agora – um bom pai, um trabalhador e um bom provedor do lar’.

(Fonte)

Termos recentes de pesquisa:


Compartilhe com amigo(a)s! Obrigado. :)