Quer saber porque a torre inclinada de Pisa nunca desmoronou?

torre inclinada de PisaTodo mundo que visita Pisa, na Itália, volta com uma foto de si mesmo encostado na Torre de Pisa e uma pergunta: ‘”Como a torre conseguiu se inclinar tanto por tanto tempo através de tantos terremotos e não tombar?” Embora seus amigos vão descobrir imediatamente como você fez a foto (e se não, você precisa arranjar alguns novos amigos), os cientistas têm ponderado sobre a questão há séculos. Mesmo os esforços para estabilizá-la nas últimas décadas não deram uma resposta satisfatória sobre como este belo edifício conseguiu ficar em pé (inclinar-se?) contra a força de alguns tremores muito fortes que atingiram a área. Finalmente, bem como a foto dos turistas, o mistério foi resolvido.

Ironicamente, o mesmo solo que causou a instabilidade inclinada e levou a Torre à beira do colapso, pode ser creditado por ajudá-la a sobreviver a esses eventos sísmicos.

Quem culpou o solo por isso foi George Mylonakis, um professor no Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Bristol, na Inglaterra, que fazia parte de uma equipe de pesquisa de 16 membros, que foi encarregada de resolver o intrigante quebra-cabeça de Pisa. Em um comunicado de imprensa após a descoberta, ele revelou que um fenômeno chamado interação dinâmica solo-estrutura (de sigla DSSI em inglês) é a graça salvadora da torre. Em termos simples, o solo mole que circunda o edifício altamente rígido absorveu as fortes vibrações causadas por terremotos, permitindo que a torre se inclinasse, mas não ressoasse ou oscilasse, ou finalmente caísse devido à atividade sísmica.

Esta tem sido a chave para sua sobrevivência. A combinação única dessas características dá à Torre de Pisa o recorde mundial em efeitos de DSSI.

Um recorde mundial? Esse é o tipo de desafio que faz com que os jovens pressionem contra edifícios enquanto dizem aos seus amigos: “Segure minha cerveja e veja isso!”

Os resultados do estudo serão apresentados na 16ª Conferência Europeia em Engenharia de Terremotos, que será realizada no mês que vem (junho de 2018) em Salónica, na Grécia. Deve ser de interesse para os curadores de outras torres inclinadas menos famosas ao redor da Itália, inclusive o Campanário de San Michele degli Scalzi e o Campanário de San Nicola (um campanário é uma torre de sinos independente – a Torre de Pisa é um campanário para a Catedral de Pisa), as torres de Bolonha Asinelli e Garisenda em Bolonha, e o Campanário da igreja de San Martino e o Campanário de San Giorgio dei Greci em Veneza. Será que é por isto que as igrejas mudaram para gravações de sinos, ao invés de campanários?

Esta é uma boa notícia para os gerentes de outras torres construídas em solo macio em áreas propensas a terremotos, como a Itália, e poderiam ajudar os engenheiros a projetar novas estruturas tolerantes a terremotos com fundações que absorvem choques.

Onde você preferiria morar – uma torre de apartamentos perfeitamente vertical e segura contra terremotos, ou num marco inclinado, mas seguro contra tremores (pelo menos de acordo com este estudo)?

(Fonte)

Termos recentes de pesquisa:

Compartilhe com as pessoas queridas: