Cientistas descobrem um “segredo feliz” para pessoas que gostam de correr

Compartilhe com as pessoas queridas:

um "segredo feliz" para pessoas que gostam de correr

Os corredores de todos os níveis que querem melhorar a sua resistência, velocidade e/ou força podem querer tentar mostrar um sorriso durante o treino, de acordo com uma nova pesquisa.

Embora isto possa ir contra todos os instintos naturais, descobriu-se que pelo menos fingir que você está curtindo sua corrida, ao sorrir intencionalmente, melhora seu desempenho geral, de acordo com uma nova pesquisa da Universidade de Ulster, na Irlanda do Norte, e da Universidade de Swansea, no País de Gales.

De acordo com o novo estudo, um fator psicológico chave no sucesso do treino de uma pessoa é o esforço que ela sente estar colocando na atividade. Em outras palavras, quanto menos esforço pensarmos que estamos fazendo, mais fácil percebemos o exercício e assim é mais provável de progredirmos.

A técnica “fingir até conseguir” é favorecida pelo medalhista de ouro da maratona olímpica, Eliud Kipchoge, um sorridente estratégico, cujo sorriso o ajudou a relaxar e facilitar seu caminho até a linha de chegada, durante sua maratona mais rápida.

O estudo, publicado em Psychology of Sport and Exercise, observou 24 corredores de nível de clube ao completarem quatro períodos de seis minutos em uma esteira. Toda corrida foi realizada sob um cenário diferente, com um descanso de 2 minutos entre cada sessão.

Os participantes foram convidados a sorrir (um sorriso ‘real’ que levanta os cantos da boca e das bochechas para criar rugas ao redor dos olhos), franzir a testa, relaxar as mãos e a parte superior do corpo, ou manter sua própria expressão habitual de corrida.

Cada corredor usava uma máscara respiratória para que os pesquisadores pudessem medir seu consumo de oxigênio e uso de energia. Após cada corrida, os participantes foram convidados a informar sobre o esforço percebido.

O estudo descobriu que os corredores usavam 2,8% menos de energia quando sorriam, do quando não sorriam, o que, para profissionais, é “o suficiente para esperar uma melhora significativa no desempenho em condições de corrida”, escreveram os autores do estudo.

Os participantes também expressaram um maior esforço percebido, quando franziram a testa ou tentavam relaxar as mãos e a parte superior do corpo. A equipe diz que um estudo adicional é necessário para decifrar exatamente quanto tempo os participantes devem sorrir ou se isto também funciona durante outros esportes de resistência.

Então, se você gosta de correr, já sabe o que fazer:

E se você acha que suas amigas ou amigos estarão interessados em saber disso, compartilhe com eles!

(Fonte)

Termos recentes de pesquisa:


Compartilhe com as pessoas queridas: