Você pode realmente sentir nos seus ossos quando uma tempestade se aproxima?

sentir nos seus ossos quando uma  tempestade se aproxima
champja, MILANTE / iStock / Getty Images

Quando você diz que sente algo em seus ossos, provavelmente quer dizer que sabe disso intuitivamente. Mas algumas pessoas, especialmente as que sofrem de artrite, argumentam que isto é uma realidade literal – eles podem dizer que uma tempestade está chegando pela dor em suas articulações. A ciência comprova isto?

Pesquisadores realizaram o primeiro estudo sobre este assunto em 1990. O projeto era simples e um pouco frágil. Eles colocam quatro pacientes com artrite em uma câmara barométrica e os submetem a mudanças de pressão semelhantes àquelas que vêm com mudanças no clima. Três dos quatro pacientes tiveram suas dores aumentadas quando a pressão na câmara caiu.

Somente quatro participantes contribuem para um tamanho de amostra muito pequeno, mas o estudo pelo menos sugeriu algum tipo de ligação entre a dor nas articulações e pressão barométrica.

Antes de entrarmos em mais estudos, vamos definir a pressão barométrica. Também conhecida como pressão atmosférica, a pressão barométrica é basicamente uma medida de quanto o ar pesa sobre nós. Isso varia com o tempo – a pressão cai antes de uma tempestade, por exemplo – e também varia com a altitude. No topo de uma montanha, a pressão barométrica é menor do que no nível do mar; há simplesmente menos ar acima de você, pesando sobre você.

Estudos recentes sobre pressão barométrica e dores articulares abandonaram a câmara de pressão para o mundo real. Um estudo de 2007 analisou relatos de dor nas articulações de 200 pacientes com artrite e descobriu que os picos na dor autorreferida correlacionavam-se de maneira robusta com as mudanças na pressão barométrica e temperatura. No entanto, esta correlação não aparece em todos os estudos – um estudo de 2017 não encontrou correlação entre as chuvas e os sinistros relacionados à dor nas articulações.

Isso não significa necessariamente que a correlação é fictícia, mas também pode significar que a dor que as tempestades causam não é grave o suficiente para merecer uma visita ao médico.

Por que os ossos podem reagir ao clima?

Uma coisa é certa: nem todos têm ossos que podem prever o futuro. Os estudos existentes apoiam apenas a ideia de que ossos e articulações enfraquecidos de alguma forma – por exemplo, por idade, osteoporose ou lesão – têm uma sensibilidade aumentada às mudanças na pressão barométrica.

A partir daí, os dados ficam um pouco confusos. Ninguém sabe ao certo por que esses ossos reagem às mudanças atmosféricas, mas existem algumas hipóteses por aí.

Alguns especialistas afirmam que mudanças na pressão barométrica causam dor. Talvez, eles argumentam, as quedas na pressão permitam que as regiões ‘mofadas’ do corpo, incluindo o fluido que lubrifica nossas articulações, se expandam. Isso, por sua vez, poderia desencadear inflamação em articulações artríticas ou danificadas – talvez por atacar nervos sensíveis às mudanças de pressão, chamados baro-receptores, que são encontrados em articulações que suportam carga.

Outros especialistas argumentam que mudanças na pressão barométrica revelam a dor que já existe lá. Nossos corpos produzem naturalmente cortisol e adrenalina durante o dia, hormônios que nos dão energia e suprimem a dor. À noite, para nos ajudar a dormir, a produção de ambos os hormônios diminui – o que significa que a dor crônica se torna mais palpável. Tudo isso está bem estabelecido. Mas, de maneira intrigante, a produção de cortisol e adrenalina também diminui quando a pressão barométrica cai – e isso, segundo alguns cientistas, pode explicar todos os joelhos que atuam antes de uma tempestade.

Por fim, não está claro como (e até que ponto) a dor articular e as mudanças climáticas estão ligadas, mas parece que há algo ali. “Eu sinto nos meus ossos” também é uma ótima expressão idiomática, e ninguém, nem mesmo a ciência, pode tirar isso de nós.

(Fonte)

Compartilhe com as pessoas queridas: